Se você está levantando dinheiro para seu negócio, ter um pitch deck eficiente é uma das ferramentas mais importantes. Um bom pitch deck atrai o interesse de potenciais investidores e os coloca por dentro das características do seu negócio, aumentando sua chance de conseguir o tão sonhado investimento.

O pitch deck é uma apresentação que empreendedores organizam a fim de conquistar financiamento. Na média, pitch decks não têm mais do que 20 slides e apresentam tudo que é importante para que a pessoa tome a decisão sobre investir ou não. Não se trata de um pitch elevator, que já cobrimos neste e-book. Aqui, a explicação é um pouco mais densa. Vale lembrar também que o pitch pode ser feito por startups iniciantes, enquanto o pitch deck exige um pouco mais de estruturação.

Além disso, você pode apresentá-lo e ter um arquivo mais completo à mão ou para ser enviado posteriormente por e-mail. Esteja sempre preparado para isso. Ainda assim, é aceitável que um pitch deck tenha entre 20 e 30 minutos, sem contar tempo para perguntas.

Neste artigo, listamos cinco dicas para que você crie um pitch deck que conquiste a audiência e tenha mais chances de levantar financiamento. Vamos lá!

 

1 – Não esqueça estes slides

Para que seu pitch deck seja um sucesso, o ideal é que contemple os seguintes temas, cada um em um slide:

  • Visão e proposta de valor: resuma esses dois itens, mesmo que em apenas uma frase. Evite comparar seu negócio com outros e fuja de afirmações vazias; seja objetivo.
  • Problema: seu negócio deve resolver um problema do cliente e preencher uma lacuna de mercado. Utilize esse slide para explicar, de forma simples, quem tem o problema. Quem sabe um exemplo não ajuda? Vale também demonstrar como você identificou o problema – por exemplo, experiência própria.
  • Mercado e oportunidade: expanda a ideia sobre quem é seu consumidor ideal (persona), o tamanho da potencial fatia de mercado e a posição da sua empresa frente a ele. Se possível, demonstre, com números, o crescimento potencial do mercado.
  • Solução: agora que o terreno está preparado, apresente a solução. Descreva o produto ou serviço e a forma como os consumidores vão utilizá-lo, além de mostrar como ele resolverá o problema em questão. Só apresentamos a solução aqui porque os consumidores e suas necessidades são mais importantes, ao passo que definem a real aderência da solução. Descreva de forma objetiva e procure também falar sobre como pode ser escalável.
  • Modelo de faturamento e modelo de negócio: você já falou sobre público, necessidade e solução. Mas como tudo isso gera renda? Explore os detalhes aqui e dê aos investidores a segurança de que realmente dá certo. Se achar necessário, pode discutir a concorrência e mostrar como seu preço é competitivo.
  • Tração e validação: ofereça a prova de que a solução dá certo e está sendo comprada, ou como foi validada. Saiba mais sobre testes de validação.
  • Estratégia de marketing e vendas: como você pretende fazer com que o produto ou serviço chegue até as pessoas?
  • Time: demonstre como as pessoas que trabalham com você são capacitadas e quais são seus sucessos.
  • Finanças: relatórios de venda, lucro e perdas, fluxo de caixa, etc., tudo deve estar no seu pitch deck.
  • Arrecadação: quanto você espera arrecadar? E como vai utilizar os recursos para gerar lucro para os investidores?

 

Pronto! Agora você já conhece a estrutura do pitch deck! Você também pode adicionar mais informação (como prints do seu aplicativo, por exemplo), se quiser.

 

2 – Mantenha a simplicidade

A estrutura que detalhamos acima pode parecer complexa, mas cada slide não precisa mais do que algumas sentenças. Quanto mais sucintas as informações, mais você consegue segurar a atenção do interlocutor. Tire os bullet points da sua apresentação!

 

3 – Conte uma história

Evite falar apenas de fatos. O storytelling (conheça as últimas tendências da técnica aqui) pode ajudar muito na sua tarefa de captar a atenção dos investidores e demonstrar para eles como o seu pitch deck é coeso.

Isso pode ser feito na forma como você fala cada item apresentado. Existe alguma história pessoal que pode facilitar a passagem das informações? Por exemplo: você pensou em montar uma startup de consultoria de moda porque sentia que não sabia se vestir muito bem e, quando começou a pesquisar, viu que era mais simples do que imaginava. Basta uma indicação aqui e ali, clientes podem se sentir muito melhor consigo mesmos.

Dessa forma, você envolve mais as pessoas e cria interesse e animação com o seu negócio.

 

4 – Chegue preparado

A fim de oferecer mais detalhes aos potenciais investidores, tenha um documento preparado para ser entregue tanto em mãos quanto por e-mail. Assim, eles podem observar tudo com mais calma e, de quebra, você demonstra a confiança que tem no seu negócio.

Confira outros itens que você pode querer levar a uma reunião de pitch deck:

 

  • Sumário executivo: é um resumo de duas ou três páginas sobre seu negócio. É um documento que pode ser compartilhado com investidores a fim de que eles, por sua vez, compartilhem com seus sócios ou parceiros. Deve ter as mesmas informações do pitch deck, mas em forma de texto.
  • Documentação técnica: se a sua empresa é de tecnologia ou medicina, por exemplo, pode ser que investidores peçam detalhamentos técnicos para além do pitch deck. Com isso pronto, você demonstra seu preparo.
  • Planejamento detalhado: qualquer investidor que esteja certo sobre investir na sua companhia vai querer conferir o planejamento financeiro. Inclua aqui o máximo de informações que puder sobre contratações, projeções, gastos, custos, etc.
  • Pesquisa de mercado detalhada: investidores podem exigir de você detalhes sobre o mercado em forma de pesquisa. Será que o consumidor está mesmo interessado? Se você validou a empresa com uma pesquisa, não deixe de compartilhar esse resultado.

 

Muitas dessas informações serão detalhadas na hora de fazer um plano de negócio. Saiba como criar um na prática aqui!

 

5 – Não esqueça do pós-pitch deck

Qual é o objetivo do seu pitch deck? Se você pensou em “conseguir investimento”, errou. Na verdade, o objetivo dessa apresentação deve ser sempre conseguir a próxima reunião. Foque em manter o interesse dos investidores para que eles queiram saber mais.

Investimentos requerem tempo para serem conquistados. Pode ser que você tenha que realizar o pitch centenas de vezes antes de conseguir a primeira oportunidade. Por isso, além de não perder a esperança, mantenha um registro de todas essas apresentações e não se esqueça de fazer follow ups, ligando para investidores para conseguir feedbacks.

O pitch deck pode, e deve, ser utilizado para conseguir financiamentos. Mas existem outras formas e outras fontes para isso. Confira outro conteúdo, no qual explicamos melhor essa questão:

DICAS PARA CONSEGUIR INVESTIMENTO NA SUA STARTUP

Leia mais sobre Destaque


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.