Você sabia que até 2008 o planeta era mais rural que urbano? Antes disso, mais da metade da população mundial vivia em zonas rurais. A projeção é de que 60% dos habitantes vivam em centros urbanos até 2030.

A urbanização é fruto de avanços tecnológicos, políticos e sociais de diversos países e causa grandes impactos ambientais. Passamos a ter de lidar com grandes concentrações de pessoas, alto consumo de produtos e serviços, geração de toneladas diárias de lixo e queima cada vez mais rápida de combustíveis fósseis.

Parece o fim do mundo. Mas não é. Em todos os lugares, iniciativas sustentáveis ganham força, e você também pode fazer algo para ajudar.

No post de hoje, vamos falar sobre o conceito de cidade sustentável e o que cada um pode fazer para incentivar os municípios a fazerem parte da mudança. Você também vai conhecer iniciativas que deram certo.

 

O que torna uma cidade sustentável

Segundo 97% dos cientistas, as mudanças do clima acontecem e são aceleradas pelas ações humanas. Para você ter uma ideia, o nível de consenso dos profissionais é o mesmo sobre a relação entre fumo e câncer de pulmão.

Para reverter o quadro, temos de olhar primeiro para as cidades. As mudanças começam em escala local, mas podem chegar a transformar todo o país.

Chamamos de cidade sustentável aquela que incorpora ações de sustentabilidade em seus serviços fundamentais, como segurança, transportes, educação, saúde, coleta de lixo, saneamento, energia, etc. As ações podem ser variadas, mas devem contribuir para o desenvolvimento ambiental e econômico da cidade.

Mas não pense que tudo depende do poder público. Pequenas, médias e grandes empresas, além de instituições, comunidades e cidadãos, devem contribuir com o processo.

 

Prioridades do Brasil

Quando falamos de impacto ambiental, logo vêm à mente as filas intermináveis de carros no trânsito intenso das capitais brasileiras. Mas a necessidade de ações sustentáveis não se limita aos grandes centros.

Na América do Sul, o índice de urbanização chega a 89%. No Brasil, acredita-se que o maior crescimento nos próximos anos ocorrerá nas pequenas e médias cidades. Portanto, a pressão desse movimento demográfico é grande para mudar os hábitos.

Para definir as prioridades, vários países entraram no Acordo de Paris em 2015 e traçaram metas a serem alcançadas nos próximos anos.

Em setembro do mesmo ano, o Brasil apresentou suas metas, que incluem:

 

  • Alcançar a participação de cerca de 45% de energias renováveis (eólica, solar, de biomassa) na composição da matriz energética em 2030.
  • Promover tecnologias limpas, eficiência energética e infraestrutura de baixa emissão de carbono na indústria.
  • Melhorar a eficiência e a infraestrutura no transporte público em áreas urbanas.
  • Fortalecer o cumprimento do Novo Código Florestal (Lei nº 12.651/2012), que trata da proteção à vegetação nativa, inclusive no âmbito municipal.
  • Restaurar e recuperar florestas, em um total de 12 milhões de hectares, para múltiplos usos, até 2030.
  • Saiba mais sobre as prioridades brasileiras e outros pontos sobre cidades sustentáveis no Guia de Ação Local Pelo Clima, do projeto Cidades Sustentáveis.

 

O que fazer para sua cidade ser sustentável

Mas o que, na prática, pode tornar a sua cidade sustentável? Selecionamos alguns cases e ações que podem ser tomadas para alcançar essa meta.

 

Políticas de incentivo para empresas

 

Uma das formas de transformar uma cidade é pela inovação. Aplicar investimentos em empresas que atuam nesse sentido é uma ótima ideia.

O Fundo de Inovação em Meio Ambiente, da Inseed, é um exemplo desse tipo de política. Os investimentos são focados em empresas que se encontram em estágio inicial e têm um modelo de negócios baseado em energia limpa, sustentabilidade e redução de impactos ambientais.

Vale lembrar que pequenos e médios negócios têm muito a ganhar com ações sustentáveis. Atitudes simples, como o gerenciamento e a destinação adequada de resíduos, podem melhorar a reputação da empresa. Isso sem contar a geração de renda.

Diminuindo o consumo de água e energia, esses negócios também podem aumentar os lucros. Saiba mais sobre adoção de práticas sustentáveis.

 

Políticas públicas

 

Uma cidade sustentável também precisa ter políticas públicas voltadas para isso. Em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, a cooperativa de catadores Catavida oferece capacitações para a correta gestão social de resíduos sólidos.

Além de destinar os resíduos corretamente e diminuir a quantidade de lixo no aterro sanitário da cidade, esse projeto influencia outros setores, além de incentivar o desenvolvimento, a autonomia, o empoderamento e a inclusão social do ser humano.

 

Mobilidade

 

Em São Paulo, foi realizada uma análise sobre a contribuição de cada tipo de transporte de passageiros na emissão de poluentes. O resultado revelou que carros transportam 30% das pessoas e são responsáveis por 72,6% das emissões de gases de efeito estufa.

Em Houden, na Holanda, foi aplicado um plano de mobilidade que prioriza ciclistas, crianças e pedestres. A mudança diminuiu a utilização de carros e aumentou a malha cicloviária.

Mas outras ações podem tornar uma cidade sustentável no âmbito da mobilidade:

 

  • Calçadas mais amplas
  • Iluminação adequada
  • Desenvolvimento dos bairros
  • Parklets (ou varandas urbanas)
  • Desenvolvimento dos bairros em detrimento dos centros

 

Arborização

 

Uma cidade arborizada é essencial não só para a boa qualidade do ar, mas para evitar a formação de ilhas de calor. Além disso, as árvores são responsáveis por captar o CO2, manter a umidade do ar, reter a água das chuvas e permeabilizar o solo.

Na cidade Senhora dos Remédios, em Minas Gerais, a população tem o hábito de plantar uma árvore para cada bebê que nasce. Depois do sucesso da campanha, outras 11 cidades do país fizeram o mesmo.

 

Parceiros da cidade sustentável

 

Na luta por uma cidade sustentável, é preciso que o poder público se una a diversos parceiros, além de contar com as iniciativas individuais. Veja o papel de cada um.

 

Universidades e institutos de pesquisa

 

A principal contribuição dos órgãos educacionais é o apoio técnico para as iniciativas públicas e privadas. São ações que envolvem desde a recuperação de espécies nativas até a implantação de eficiência energética na iluminação pública.

 

Associações de bairro e ONGs

 

É por meio desses atores que os cidadãos podem ter voz. Eles têm acesso a quem é diretamente influenciado pelos problemas sociais e ambientais e sabem quais devem ser as prioridades do município.

As organizações ajudam a conscientizar a população sobre os perigos das alterações climáticas, além de reivindicar mudanças com os representantes políticos.

 

Setor privado

 

Os empreendedores e colaboradores das empresas devem se preocupar com o impacto que o sucesso do negócio traz para o meio ambiente. Afinal, uma cidade sustentável, próspera e equilibrada é positiva para as organizações.

É importante melhorar a eficiência energética e o uso da água. Além disso, corporações podem financiar projetos sociais e ambientais na cidade. Saiba como empresas podem mensurar o resultado de práticas sustentáveis.

 

Municípios vizinhos

 

É importante não deixar de buscar apoio nas cidades vizinhas. Os problemas podem ser parecidos e as soluções, compartilhadas. Além disso, é possível construir ações em conjunto, favorecendo um impacto ainda maior.

 

Moradores da cidade

 

É essencial que haja mudanças no nosso comportamento. Descarte o lixo adequadamente, otimize o uso da água e da energia e prefira formas de transporte que não emitam poluentes. A longo prazo, todos vão sentir a mudança positiva.

Quais ações sustentáveis existem na sua cidade? Compartilhe nos comentários!

 

NÃO SABE POR ONDE COMEÇAR? CONHEÇA OUTRAS CIDADES QUE IMPLANTARAM AÇÕES SUSTENTÁVEIS E INSPIRE-SE.

Leia mais sobre Para sua região Sustentabilidade


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.