Por mais que negócios artesanais tenham sua essência no trabalho manual, isso não significa que não podem inovar e participar da indústria 4.0. A revolução tecnológica nos trouxe transformações em muitas frentes, como logística, gerenciamento de estoques, softwares e outras áreas que têm ligação com o negócio artesanal.

Ainda assim, inovar no segmento é desafiador. Por mais que a área cresça cada vez mais no Brasil e movimente 50 bilhões de reais todos os anos, ainda são poucos os artesãos que se tornam empreendedores. Existem vários motivos para isso, um deles, a carga de trabalho, que pode aumentar com funções como precificação, divulgação, gerenciamento de estoque, etc.

Então como é possível capacitar artesãos para o empreendedorismo e inovar em negócios artesanais? Neste artigo, exploramos essa questão, os principais desafios para a transformação do setor e o exemplo da Rede Asta, negócio social que conecta artesãos e empresas e coloca os artistas no circuito comercial.

 

Desafios e oportunidades para negócios artesanais

Segundo um relatório da McKinsey, entre as atividades mais difíceis de automatizar estão aquelas que envolvem o desenvolvimento pessoal e as que incluem tomada de decisões, planejamento e pensamento criativo.

Pode existir inovação no artesanato de diversas formas: evolução da técnica, descoberta de novos materiais, aplicação de novas ferramentas, utilização de um novo modelo de negócio. Para compreender essas possibilidades, no Reino Unido, o Crafts Council (Conselho de Artesanato) compilou em um relatório os principais desafios dos negócios artesanais e mostrou como é possível vencê-los.

Algumas conclusões do material:

 

  • Colaboração: o caminho de uma ideia até seu desenvolvimento pode ser difícil de percorrer. O relatório apontou que a colaboração entre setores da empresa ou entre agentes, no caso de artesãos autônomos, é uma oportunidade de inovação com potencial de alto impacto. Podemos citar aqui designers que colaboram com grupos de artistas, empresas que investem em comunidades, etc.
  • Capacitação: o investimento em educação para negócios artesanais é essencial. Artistas capacitados têm mais potencial para crescer e se desenvolver tanto em sua própria arte quanto como empreendedores. Por isso, governos, instituições e empresas devem investir na capacitação dessas pessoas a fim de fomentar o crescimento do setor.
  • Investimento: além do investimento em educação, há o fomento dos próprios negócios. Empresas podem criar parcerias com artesãos, por exemplo, a fim de criar novos produtos e aumentar o faturamento. No entanto podem acontecer falhas, como em qualquer outro empreendimento. Essa incerteza pode reduzir a quantidade de investimentos, porém é preciso perceber o valor dos negócios artesanais para além do lucro: há benefícios ambientais e sociais.

 

Utilizando essas oportunidades, a Rede Asta trabalha com milhares de artistas para transformá-los em empreendedores, além de realizar parcerias com empresas para expandir e comercializar produtos em todo o Brasil.

Conheça um pouco mais sobre o trabalho a seguir.

 

Rede Asta

Criada em 2005 pela empreendedora Alice Freitas, a Rede Asta é um negócio social (saiba o que isso significa) que conecta e favorece empresas e artesãos. A plataforma facilita o acesso dos consumidores aos produtos e faturou R$ 2,2 milhões em 2015, segundo o site Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

O trabalho começa no recolhimento de resíduos que serão transformados em brindes, acessórios, roupas, dentre outros produtos. Dos últimos anos, surgiu uma parceria com o e-commerce BemGlô, que permitiu a venda dos produtos para pessoas físicas em todo o Brasil.

Neste vídeo, você entende mais sobre o trabalho da Rede Asta:

 

Empreendedorismo e inovação no artesanato

Como você viu, o setor de artesanato no país tende a crescer cada vez mais. No entanto é preciso contar com a iniciativa de empresas, instituições e governos para capacitar e incentivar o investimento e a colaboração. Negócios sociais como a Rede Asta cumprem um papel importante nesse ciclo, mas ainda existe espaço para crescimento.

Se você é artista ou artesão e pretende adquirir características empreendedoras, sugerimos alguns conteúdos que podem ser do seu interesse:

 

 

Agora, se você é empreendedor com uma empresa já estruturada, que tal entrar em parceria com negócios artesanais? Confira conteúdos que podem ajudá-lo nisso:

 

 

Leia mais sobre Empreendedorismo


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.