Entenda o que é e como esta técnica está transformando regiões.

Você sabia que o Design Thinking pode transformar a vida na sua cidade e região? A técnica de resolução de problemas já é bastante difundida no setor privado, mas pode fazer muito pelos cidadãos, criando soluções inovadoras para vários obstáculos enfrentados no dia a dia.

 

Para resolver um problema utilizando o Design Thinking, é preciso passar por um processo criativo e abrir espaço para a colaboração e a experimentação. Só conectando experiências e conhecimentos diferentes, é possível inovar.

 

Aqui, você vai entender o que é esta técnica e como utilizá-la para mudar a realidade da sua região. As possibilidades são infinitas:

 

Aprenda o que é Design Thinking

 

O Design Thinking consiste em mudar seus padrões de pensamento utilizando como base o processo criativo do design. Você passa a ter quatro focos principais:

 

  • Decisões centradas no ser humano
  • Questionamento das questões
  • Construção para pensar
  • Iteração (repetição)

Aqui, queremos alterar a vida do usuário. Procuramos oferecer a ele experiências totalmente novas que possam transformar a maneira como ele enxerga a vida. Vamos inventar outros produtos, processos, mercados e modelos de negócio, focados em resolver as questões da vida nas cidades.

O Design Thinking tem três pilares:

Empatia

Você precisa entender muito bem quais são os problemas enfrentados pelo seu público-alvo. Procure saber sobre os comportamentos, os desejos, o que ele espera da solução que você vai oferecer.

Uma boa forma de fazer isso é com pesquisa e observação. Se você propuser que algum problema da sua cidade seja resolvido com Design Thinking, envolva o máximo de atingidos possível.

 

Experimentação

Outro pilar do Design Thinking é a experimentação. Partimos do princípio de que só é possível saber se algo dá certo testando. Mesmo que dê errado, podemos aprender com o erro e fazer mudanças para tentar de novo.

Por isso, ter o maior número possível de ideias durante o processo é importante. Procure juntar os representantes de todos os setores do município ou da região para ter o máximo de visões e contribuições diferentes que puder.

 

Prototipação

Protótipos são os primeiros modelos da solução que você criou. Eles permitem avaliar a sua viabilidade e praticidade diante do problema e se a audiência realmente vai aderir.

Nesse processo de concretização de ideias, também abrimos espaço para críticas e contribuições, vindas de quem participou do processo e de quem será beneficiado. Construir um projeto com Design Thinking é estar sempre em evolução.

 

Entenda como é feito um projeto por meio do Design Thinking

 

A metodologia do Design Thinking segue algumas fases, as quais vamos tratar aqui. Tenha em mente que elas podem se repetir, já que os pontos de vista podem mudar e então será preciso voltar e refinar as fases anteriores.

 

1. Imersão

Nesta fase, vamos viver o problema. É a hora de enxergar a situação com a visão tanto de quem é afetado quanto com a dos outros setores da sociedade. Levante o máximo de informações possível, faça pesquisas, converse com as pessoas, analise as consequências da situação atual. Você tem de iniciar o processo entendendo a fundo os envolvidos.

 

2.Ideação

Esqueça as preocupações de realização do projeto. Nesta hora, todos começam a soltar a criatividade para que surjam ideias totalmente novas. Ainda não nos preocupamos com os recursos disponíveis ou as autorizações necessárias, por exemplo.

Crie um ambiente seguro e convidativo para que essas ideias brotem. Sem julgamentos, o que queremos são soluções totalmente novas. Fica muito difícil fazer isso quando temos amarras.

 

3. Prototipação

Uma vez que a ideia que parece mais viável foi escolhida, depois de lapidá-la para atender tudo o que é preciso, vamos ao protótipo.

Procure não criar nada muito elaborado. Lembre-se de que o protótipo está longe de ser uma primeira versão. Ele serve apenas para conferir a viabilidade e visualizar a aplicação. Além disso, como os recursos são escassos, é preciso evitar o desperdício de dinheiro e tempo.

 

4. Realização

Depois de aplicar o seu protótipo e analisar os resultados, é hora de partir para a primeira versão oficial da sua solução. Escreva um projeto final e comece a implementar de fato.

Pode ser que, mesmo depois do lançamento, o projeto ainda precise de ajustes. Isso é bastante comum nos projetos de inovação. Mas não deixe de contar com essa possibilidade na hora de definir os custos.

Lembre-se de que, quando aplicamos o Design Thinking para criar soluções nas cidades, o objetivo é melhorar a qualidade de vida das pessoas. Considere-as em todas as partes do processo para que o resultado seja realmente efetivo.

 

Saiba como realizar na sua região

 

Como o Design Thinking é centrado nos seres humanos, pode fazer muito pela sua cidade ou região. Mas, para impactar cidadãos de forma positiva, é preciso ter atenção a alguns pontos:

 

  • Comece com um problema que afete as pessoas da região. Depois, você pode usar o mesmo método para resolver outros problemas, mas é importante ter um foco principal desde o início.
  • Abra espaço para as pessoas de todas as áreas do conhecimento participarem. A ligação entre elas é que proporciona inovação.
  • Para gerar ideias que realmente gerem impacto, você precisa da participação de quem é atingido. Mas, se for possível, convoque o máximo de pessoas que puder. De preferência a representantes do poder público, da iniciativa privada e da sociedade civil.

 

A tecnologia transformou os cidadãos em pessoas com acesso ao digital, o que abre para muitas possibilidades. Agora, exigimos que as soluções sejam conectadas com o nosso tempo. Com o processo de criação, não poderia ser diferente.

 

Conheça exemplos de quem já fez

 

Duas cidades brasileiras já implantaram metodologias de Design Thinking para resolver problemas pontuais.

 

Pacto do Rio

A organização do projeto aconteceu em torno de levantamentos feitos entre os jovens de comunidades pacificadas do Rio de Janeiro. As áreas de maior vulnerabilidade tinham várias demandas, que foram pesquisadas e colhidas para iniciar um processo de cocriação de soluções. Nasceu daí o Pacto do Rio, parceria público-privada (PPP) que monitora o desenvolvimento da cidade.

 

Belo Horizonte

A capital mineira também contou com um workshop, chamado de Conectando os Pontos, para discutir soluções para a cidade. Foi o início da capacitação de Design Thinking, que pode gerar outros projetos no futuro.

O processo do Design Thinking aqui sugerido é contínuo. Até mesmo as técnicas podem evoluir enquanto você monta o seu projeto. Por isso, leia e se informe sempre. Para saber mais sobre o assunto, acesse a Biblioteca do Sebrae.

Leia mais sobre Design Para sua região


Fique por dentro das novidades do Sebrae Minas

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.