Depois que surgiu o e-commerce, muitas empresas passaram a ter a possibilidade de vender produtos e serviços para qualquer pessoa no mundo. Hoje, existem lojas virtuais de vários tipos, que vendem tanto serviços quanto objetos simples.

O que muitos empreendedores iniciantes não costumam levar em conta é se o modelo de e-commerce realmente é adequado ao seu negócio. Mesmo que não haja ponto físico, abrir uma loja virtual exige investimento, quer de tempo, quer de dinheiro, para que seja lucrativo e sustentável.

Se você está pensando em vender pela internet, comece lendo este texto. Vamos falar sobre os tipos de e-commerce e o que você deve avaliar antes de ter um.

 

 

O que é um e-commerce

Em essência, “e-commerce” se refere à compra e à venda de produtos e/ou serviços por canais eletrônicos. O crescimento desse tipo de negociação ocorreu por volta dos anos 1990 e 2000, junto com a popularização da internet.

Mas quem viveu esse período sabe o quanto as coisas mudaram desde então, principalmente com a criação da Amazon, em 1995. Atualmente, temos várias opções de plataformas de hospedagem, gratuitas e pagas, específicas para nichos ou gerais, dentre outros aspectos.

Com tantas possibilidades, a vontade de muitos empreendedores é ter seu espaço para vender na internet. Não há problema nisso, desde que haja o desenvolvimento de modelo de negócio, que estabeleça metas e objetivos de maneira clara. Afinal, o e-commerce é só uma forma de vender, não define um modelo por si só.

Para ajudar, listamos os tipos de modelos de negócio para e-commerce.

 

Como definir o melhor modelo de negócio

Existem vários tipos de loja virtual, que variam de acordo com tipos de produto, local, estilo de coleção, disposição na página, etc.

Mas a primeira e principal diferença que pode ocorrer entre e-commerces é a de B2B (business to business) ou B2C (business to costumer). Vamos aprofundar um pouco nessa divisão.

B2B

Este modelo se refere à venda de empresa para empresa. Se seu modelo se encaixa neste, lembre-se de que o e-commerce deve levar em conta o ciclo de vida mais longo e as vendas em quantidades maiores.

B2C

Já este modelo se refere à venda direta para o consumidor. É o tipo mais presente em e-commerces, cuja característica é ter o ciclo de vida mais curto e vender menos itens de cada vez.

Agora, vamos analisar os tipos de mercadorias ou serviços mais comumente vendidos pela internet.

 

Tipos de produtos e serviços vendidos em e-commerce

Mercadorias físicas

Quando pensamos em e-commerce, a primeira imagem que vemos é esta: produtos físicos dispostos em uma página, com o preço. Realmente, é o tipo de loja online mais comum, por meio da qual as pessoas estão mais acostumadas a comprar.

Ainda assim, apresentam alguns desafios, como o transporte e a estocagem.

Produtos digitais

Também são bastante populares entre os e-commerces. A vantagem deste modelo é não precisar de um local para realizar a estocagem ou uma entrega física. Podemos considerar aqui a venda de músicas, ebooks, vídeos, imagens ou softwares.

A principal desvantagem é a pirataria. Entretanto, como os produtos digitais podem ser vendidos infinitamente, consideramos que sua margem de lucro seja positiva. A plataforma de e-commerce Etsy costuma mostrar artistas vendendo suas ilustrações de forma digital, por exemplo.

Serviços

Este tipo de loja virtual já não é tão comum. Podemos considerar, neste item, serviços de consultoria, web design, produção de conteúdos, edição de vídeos, etc. O desafio é a escalabilidade, já que esses serviços são normalmente atendidos por uma pessoa, com limite de tempo.

 

Como saber se sua companhia deve ter um e-commerce

Para que tenha sucesso, seu e-commerce deve atender às principais necessidades do seu cliente e ser capaz de fazer o produto ou o serviço chegar ao consumidor.  São duas características básicas, mas essenciais. Saiba o que avaliar antes de decidir ter seu e-commerce:

Tipo de produto ou serviço

Produtos com valor muito alto costumam ser difíceis de vender pela internet, sem o intermédio de um vendedor. Softwares, por exemplo, que devem oferecer treinamentos para o cliente, vão requerer atendimento em algum momento da transação.

Isso não impede que o produto ou o serviço esteja presente online. Na verdade, qualquer negócio precisa de visibilidade. A diferença é que uma pessoa vai realizar a venda, e não a plataforma de e-commerce, de forma automática.

Aspectos legais

Antes de começar a vender qualquer coisa, na verdade, é importante formalizar a empresa. Saiba como, aqui.

Não deixe também de se informar sobre impostos e taxas. Especialmente se seu produto ou serviço for altamente escalável, você precisa contar com a ajuda de profissionais, como contadores, para não deixar as coisas saírem do controle.

 

O modelo de negócio do e-commerce

Como você viu, é necessário definir algumas características antes de decidir ter um e-commerce ou não. Dentre elas, o seu segmento de mercado, o tipo de mercadoria ou serviço e se o negócio é B2B ou B2C.

Lembre-se de que o e-commerce é apenas uma forma de você realizar suas vendas e deve vir acompanhado de outras estratégias, como marketing digital e design de experiência do usuário.

Se você decidiu que está no momento certo para abrir um e-commerce, confira também:

CONFIRA 6 PLATAFORMAS DE E-COMMERCE E SAIBA COMO ESCOLHER

Leia mais sobre Ambiente Digital Para seu negócio


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.