A tecnologia revolucionou a forma como interagimos, como nos relacionamos, compramos e vendemos. Como é previsível, na realidade de empreendedorismo do Brasil, isso também não é diferente. Os números podem dizer melhor: de acordo com estudo do Serviço de Proteção ao Crédito do país (SPC Brasil), 35% dos micros e pequenos empresários apostam em ferramentas tecnológicas para potencializar as vendas.

Fato é que as possibilidades digitais abrem novos caminhos em muitas áreas. E é aqui que entra o principal assunto deste texto: os infoprodutos, tema muito buscado atualmente. Aqui vamos explicar melhor o que são eles e como você pode ganhar dinheiro investindo nisso.

 

O que são, afinal, os infoprodutos?

Basicamente, trata-se de um material de informação criado e distribuído digitalmente. Eles podem ser pagos ou gratuitos, e as possibilidades de temas vão de A a Z: curso online sobre como bordar, material detalhado sobre Física Quântica ou áudio com dicas de especialistas sobre planejamento financeiro, por exemplo.

Para nos aproximarmos do contexto atual e entender como o brasileiro está propício a consumir esse tipo de recurso, podemos traçar um paralelo com o Ensino a Distância (EAD), que tem uma forma de venda e consumo parecida com a dos infoprodutos. Aliás, as estatísticas não deixam mentir: de acordo com uma reportagem da Veja, o número de alunos matriculados em EAD, no país, em 2016, era de 1,5 milhão.

 

Vantagens de trabalhar com infoprodutos

  • Eles oferecem mais flexibilidade (para quem cria e para quem consome). Isso porque é muito mais fácil usar um produto que pode estar disponível imediatamente e acessível às condições do cliente do que ter de se deslocar, desperdiçar tempo ou gastar muito para adquiri-lo.
  • As oportunidades de vendas são maiores se comparadas aos cursos presenciais ou ao material impresso. Afinal, você pode comercializar o mesmo produto para inúmeras pessoas. Imagine, por exemplo, quantas pessoas (espalhadas por todo o país) podem comprar o seu ebook. Agora pense: se o mesmo conteúdo do material só pudesse ser disponibilizado presencialmente, em sala de aula e com a sua condução, como seria? Além de ocupar mais tempo, atingiria uma escala bem menor de pessoas.
  • Os custos de produção são menores, e a criação não exige manutenção periódica ou grandes espaços físicos específicos. Os motivos são parecidos com os do tópico anterior: é muito mais prático produzir e divulgar um ebook do que alugar uma sala ou convocar pessoas para assistir à apresentação do produto.

 

Conheça 4 formatos

Os infoprodutos podem ser criados em diversas modalidades:

Ebooks

O ebook é um um livro digital e já se tornou um produto popular e muito consumido pelos clientes. Dentre as vantagens de escolhê-lo, estão a entrega imediata ao cliente do material (você pode automatizar seu processo de download, inclusive), o acesso fácil pelo cliente de qualquer dispositivo compatível e a possibilidade de ler o documento sem estar na internet, depois do download feito.

Os ebooks normalmente são escolhidos pelo criador quando o conteúdo a ser divulgado é mais simples e não exige demonstração prática ou visual mais elaborada. Infográficos, nesse caso, podem ser uma ótima solução.

Audiobooks

O audiobook é um infoproduto que tem uma proposta semelhante à do ebook, mas aqui estamos falando de livros narrados e divulgados em formato MP3. Sua produção não é tão difícil e, para ficar bem feita, exige um roteiro predefinido, que vai direcionar o momento de abordar cada tópico. Eles são fáceis de ser acessados e podem ser ouvidos pelos consumidores em diferentes dispositivos, até mesmo enquanto fazem outras tarefas. Se o seu público for aquele que passa muito tempo no trânsito ou em salas de espera, que tal investir nesse formato?

Videoaulas

Como o próprio nome sugere, videoaulas são cursos online gravados em formato de vídeo. Elas podem ser interessantes quando o conteúdo exige demonstração mais dinâmica. E criar não é tão difícil: é preciso ter um ambiente em que a filmagem ficará bem feita, um dispositivo com boa captação de imagem e um pouco de conhecimento sobre iluminação, áudio e edição. Há também a possibilidade de alugar material de gravação ou contratar profissionais especializados que façam todo o processo. Se você prefere não aparecer na câmera, também é possível convidar um especialista para falar sobre o tema.

Screencasts

Este modelo de infoproduto não é tão conhecido pelo nome, mas certamente você já viu algum por aí. Sabe aqueles tutoriais ou vídeos que transmitem orientações por meio da filmagem literal da tela de um computador ou de um smartphone? São os screencasts. Modelo muito eficaz para tutoriais e demonstração de passo a passo, também não exige muito para a sua execução. Mas é preciso, claro, ter atenção a alguns detalhes – por exemplo, considerar um bom microfone para captar a sua voz. Você também pode pensar em recursos como trilhas sonoras que vão deixar o conteúdo mais dinâmico.

Se o assunto que você pretende abordar exige diferentes formatos ou pode ser trabalhado de maneira complementar, talvez você queira considerar a criação de kits de infoprodutos – você pode, por exemplo, criar um conjunto de conteúdo que mescle screencasts, ebooks e videoaulas.

Agora, se você acha que os infoprodutos podem ser uma boa ideia para o seu nicho de atuação, comece a pesquisar os próximos passos. Ele pode fazer parte de uma estratégia maior de marketing de conteúdo – gerando leads (potenciais consumidores) e consequentemente vendas, aumentando seu lucro e a rentabilidade. Que tal passar o início desse planejamento para a ponta do lápis?

Se você gostou de saber mais dos infoprodutos, vai gostar também de aprofundar seu conhecimento sobre Inbound Marketing e como ele pode ser útil para a sua estratégia de negócio e para alavancar vendas.

Leia mais sobre Ambiente Digital Para seu negócio


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.