Se tivesse que se definir agora, você diria que é uma pessoa mais racional ou emocional? Dentro de um contexto profissional, é possível que muitos respondam automaticamente que são mais voltados para a razão. Afinal, quem quer admitir que age de acordo com o que mandam as emoções, não é mesmo?

inteligência emocional

Ao responder dessa forma, julgando a racionalidade como mais correta, você pode estar deixando de considerar um conceito importante para os negócios: a inteligência emocional.

 

O que é inteligência emocional

Daniel Goleman é um psicólogo e renomado jornalista científico americano, mais famoso pelos seus anos de trabalho no New York Times. Foi durante esse trabalho, em meados dos anos 1990, que o autor foi responsável pela popularização do termo inteligência emocional.

Essa forma de inteligência proposta por ele em seu livro homônimo serve como um contraponto às inteligências racionais. A inteligência emocional, ou IE, é a capacidade de compreender e lidar com as emoções individuais e com as emoções daqueles à nossa volta. Além disso, é a habilidade de gerenciar bem o seu lado emocional, bem como o de outras pessoas.

Existe certa divergência entre psicólogos sobre o que constitui de fato a inteligência emocional. Ainda assim, o conceito mais comum é o de que ela inclui pelo menos três habilidades:

 

  • a percepção emocional ou capacidade de identificar e nomear suas próprias emoções;
  • a capacidade de aproveitar essas emoções e aplicá-las a tarefas como pensar e resolver problemas;
  • e a capacidade de gerenciar as emoções, o que inclui tanto a regulação das próprias emoções quando necessário, como o ato de animar ou acalmar outras pessoas.

 

Dominar essas três habilidades é o que configura o domínio sobre as emoções de forma inteligente. A diferença que isso faz no trabalho, que é o foco deste texto, você confere a seguir.

 

Inteligência emocional no trabalho: qual a relação?

No ambiente de trabalho, quem domina bem as emoções consegue se desenvolver profissionalmente e atingir objetivos de maneira mais fácil. Além disso, a IE é uma habilidade que faz toda a diferença na trajetória de quem é ou pretende se tornar um líder.

O trabalho é marcado por uma série de decisões, relações e pressões às quais os profissionais são expostos. Diante disso, nem todos conseguem segurar firme as emoções. Muitas vezes, fica difícil não deixá-las causar reações menos que ideais em um ou outro momento. Para não perder esse controle, é necessário ter muita inteligência emocional.

Profissionais que encontram o equilíbrio emocional acabam enfrentando com mais calma e serenidade as dificuldades do trabalho. A inteligência emocional confere ao indivíduo o poder de encarar as situações sem perder o controle da situação e sem deixar que os sentimentos se sobressaiam na hora de reagir.

Outro ponto importantíssimo do poder da inteligência emocional no trabalho é sua utilização nas decisões. De acordo com estudos da 6 Seconds, ONG americana referência em estudar o assunto, a inteligência emocional é essencial para a melhor tomada de decisões. O controle correto das emoções impulsiona escolhas e reações mais adequadas por causa do estímulo que vem de competências específicas, como o otimismo, que parecem mais implicadas nessa área.

Até aqui dá para entender de forma ampla como a EI faz a diferença no dia a dia de trabalho. Mas e na prática? Veja como ela age nas diferentes frentes de um negócio:

Com foco nos clientes

Vendedores com maior inteligência emocional geram vendas mais altas. Além disso, as organizações que usam inteligência emocional criam uma maior fidelidade do cliente. O uso inteligente da emoção pode servir para criar e manter relacionamentos mais confiáveis e saudáveis.

Para aumentar a retenção de clientes, os gerentes precisam das habilidades necessárias para se conectarem de maneira eficaz com seus funcionários. Além disso, a inteligência emocional parece ser um dos principais determinantes do desempenho das estrelas.

Com foco nos funcionários

Como já foi dito, os líderes precisam das habilidades necessárias para se conectarem de maneira eficaz com seus funcionários. Os principais motivos que explicam essa necessidade são a formação de um time mais coeso e a retenção de colaboradores, com a consequente diminuição do turnover.

Com foco nos líderes

Ainda de acordo com a 6 Seconds, líderes com maior IE tomam decisões mais eficazes e constroem melhores relacionamentos. O líder IE tende a ser um importante diferencial na criação de engajamento dos funcionários.

 

Dicas para estimular a inteligência emocional

Crie um ambiente seguro e harmonioso

Especialmente para quem ocupa uma posição de liderança, é preciso entender o poder que o ambiente exerce sobre o profissional.

Criar e manter um ambiente agradável e harmonioso é o primeiro passo para estimular a inteligência emocional. Um ambiente de trabalho em que as pessoas são respeitadas e ouvidas funciona melhor e faz com que elas se sintam confortáveis e, mais importante ainda, possam produzir com mais eficiência.

Valorize o feedback

Seguindo a importância de um ambiente agradável e do trabalho em conjunto, é essencial que as empresas tenham uma boa cultura de feedback. A comunicação em duas vias e a possibilidade de ouvir o outro lado podem ser uma ótima forma para estimular a inteligência emocional.

Profissionalmente, precisamos saber ouvir quando estamos certos ou quando devemos receber críticas construtivas. Com um canal de diálogo saudável nas empresas, qualquer um pode e deve ser ouvido a fim de melhorar como indivíduo e contribuir mais com o grupo.

Aprenda a lidar com falhas e fracassos

Todo mundo já ouviu dizer que errar é humano, certo? E por que nem sempre levamos esse ditado ao trabalho?

Entender que seres humanos falham naturalmente é importante para manter a harmonia no ambiente de trabalho. Além disso, dá espaço para que o profissional não se intimide diante de adversidades e cresça emocionalmente a partir dessa compreensão.

 

Para concluir

Chegando até aqui, você deve ter entendido o conceito de inteligência emocional e como aplicá-lo no trabalho.

Seguindo essas dicas, você deverá encontrar o equilíbrio entre razão e emoção de forma inteligente o suficiente para crescer profissionalmente e inspirar aqueles à sua volta. A nossa dica final, então, é que você não pare por aqui!

Aproveite para se inspirar e aprenda a criar um bom clima organizacional na empresa

Leia mais sobre Pessoas


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.