Você acha que usuários navegam no seu site da mesma forma que você? Provavelmente não. Isso porque alguns conteúdos se destacam mais do que outros, pela inclinação pessoal, por ser seu negócio, etc. Daí a importância do mapa de calor.

Gerado por diferentes ferramentas, esse mapa pode oferecer um diagnóstico do seu site e indicar como as pessoas navegam por ele.

No post de hoje, vamos falar sobre como o mapa de calor pode ser usado para melhorar seu site e, consequentemente, suas vendas. Conheça ferramentas para isso e alguns cuidados que você deve tomar.

Apesar de ser muito utilizado para e-commerces, o mapa de calor vale para qualquer tipo de empresa que dependa do site para conquistar clientes.

 

 

O que é o mapa de calor de um site

As ferramentas que oferecem mapas de calor geram uma representação gráfica que indica vários movimentos das pessoas dentro do site. Normalmente, o mapa é criado no estilo dos climáticos, com regiões em vermelho que indicam locais mais quentes.

Os mapas nasceram na cartografia do século 16. Charles Dupin foi o primeiro a inventar um que mostrava a distribuição do analfabetismo na França.

Existem vários tipos de mapa de calor:

Mapa de cliques

Indica onde as pessoas clicaram, por meio de links ou não. Ajuda a identificar se há algum elemento na sua página que se parece com um link, mas na verdade não é. Nesse caso, as melhores opções são alterar o visual ou incluir um link, para a melhoria da navegação.

Barra de rolagem

Indica em qual aba as pessoas costumam gastar mais tempo. Assim, você fica sabendo o que mais chama a atenção e pode tomar a decisão sobre colocar na primeira dobra ou não.

Trajeto

Indica onde o mouse dos usuários navega enquanto utilizam a sua página. Com ele, você pode perceber o que a pessoa está lendo ou olhando. Entretanto, não pode ser levado muito ao pé da letra porque nem todas as pessoas mexem o mouse quando leem um conteúdo, por exemplo.

 

Por que usar mapa de calor

O mapa de calor ajuda a compreender melhor a distribuição da informação do seu site de acordo com a percepção do usuário. Com ele, você pode fazer mudanças significativas que aumentam o tempo de permanência e fornecem o que o visitante procura.

Assim, você tem uma noção do ponto de vista do usuário, premissa básica para traçar estratégias que facilitem a experiência de quem acessa os conteúdos. Se quiser saber o que é isso, não deixe de ler este conteúdo.

Vamos aprofundar um pouco mais nos insights que podem ser gerados com o uso de mapas de calor:

Descobrir o que está sendo clicado sem link

Se houver uma imagem na home do seu site, os visitantes esperam que ela se amplie ao clicar. Se isso não acontece, compromete a experiência do usuário. Se você incluir um link ou uma versão aumentada da imagem, isso contribui para a interação do usuário com a página.

Descobrir o que está sendo clicado com link

Você pode otimizar a usabilidade do link principal dando mais destaque a ele. Além disso, a página de destino pode estar com alta taxa de rejeição, o que indica que o link não explicita bem o que o usuário encontrará ao clicar.

Saber quais conteúdos mais interessam

Cruzando informações do mapa de rolagem e do mapa de cliques, podemos observar quais conteúdos são mais interessantes para o usuário. Você pode ter dobras que falem de um produto com mais destaque, e os usuários preferirem outra.

Além disso, se há muito “calor” no começo e pouco no final, significa que os usuários não se interessaram pela página. Nesse caso, a sugestão é investir em novas alternativas para trazer o seu público-alvo até ela como o discurso nas suas redes sociais, seus anúncios no Google, etc.

 

Ferramentas que fornecem mapa de calor

Para criar o mapa de calor, a ferramenta utiliza um print de tela do site ou, se for mais elaborada, apenas a URL. Procure aquelas que oferecem mais de dois mil testes.

Ferramentas que disponibilizam menos do que isso servem apenas para que você compreenda como vai ficar o mapa e não geram insights.

Confira algumas:

SumoMe

Gratuita e funciona em todos os sites, especialmente os construídos com WordPress por meio de um plugin.

Crazyegg

Oferece mapa de cliques e barra de rolagem, com teste gratuito por 30 dias.

Mouseflow

Apresenta três tipos de mapa de calor, além de um registro da atividade de cada visitante que pode ser segmentado por filtros. No site, é possível solicitar uma demonstração personalizada.

Clicktale

O software rastreia os movimentos do usuário e oferece dados analíticos para otimização e conversão. É possível solicitar uma demonstração no site.

Luckyorange

Oferece mapas de trajeto e em tempo real. Oferece teste gratuito por 7 dias.

Feng-GUI

Ferramenta on-line simples que permite fazer upload de um print da página para passar por análise de cerca de 70 pessoas.

Hotjar

Oferece mapas de cliques e trajeto e pode gravar a interação de usuários em tempo real. Permite teste gratuito de 15 dias.

 

Importância de observar mapas de calor

Por mais que sejam úteis e visualmente agradáveis, os dados oferecidos pelos mapas sempre devem ser usados com outras ferramentas.

Utilize-os para começar a analisar eventuais problemas e investigue-os mais a fundo com outras análises, como com o Google Analytics, por exemplo.

De qualquer forma, sua importância é inegável. Como vimos acima, com um mapa de calor, você pode saber:

➔ O que está sendo clicado no seu site ou não.

➔ Quais conteúdos chamam mais a atenção.

➔ Quais elementos se destacam mais.

➔ O que mais prende os visitantes ao site.

Quer saber mais sobre experiência do usuário? Leia também:

6 TENDÊNCIAS DE UX DESIGN PARA OS PRÓXIMOS ANOS

Leia mais sobre Ambiente Digital Para seu negócio


Fique por dentro das novidades do Sebrae Minas

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.