Você acredita ter uma ideia de um milhão de reais? Aquele projeto que ainda está no papel parece ter grande potencial? Se você se pergunta: “minha ideia de startup é boa?”, chegou a hora de descobrir!

Uma boa ideia de negócio deve atender a necessidades específicas do consumidor gerando um valor pelo qual ele aceita pagar. Dessa forma, existem ideias que solucionam problemas, mas não têm aderência suficiente junto ao mercado.

startup

A fim de evitar esse risco, empreendedores são aconselhados a testar soluções antes mesmo de desenvolvê-las. Confira, a seguir, algumas dicas que podem ajudá-lo a responder se a sua ideia de startup é boa.

 

Analise o problema antes de esmiuçar a solução

Antes de qualquer coisa, você precisa ser capaz de articular o problema em apenas uma sentença. Esse é o primeiro passo para descobrir se a sua ideia de startup é boa. A solução vem depois. Veja alguns exemplos de problemas estruturados:

 

  • Ao precisar de um táxi, é preciso telefonar sem saber qual o valor da taxa no final (AVALIA). (Easy Taxi)
  • Não existe uma forma de organizar minhas tarefas em etapas de uma forma visual. (Trello)
  • É muito caro se comunicar com amigos via mensagem de texto, além de não ser possível enviar mídias variadas. (WhatsApp)

 

Temos por aqui um post que fala sobre a construção do problema utilizando uma ferramenta específica. Confira!

Ao identificar o problema, também é preciso reconhecer sua prioridade na vida do consumidor. O ideal é que a necessidade esteja no topo da lista da persona. As prioridades de um dono de pequena empresa, por exemplo, podem ser as seguintes:

 

  • Gerar mais vendas
  • Contratar um gestor de marketing
  • Terceirizar alguns serviços
  • Aumentar o mix de produtos
  • Otimizar as redes sociais e investir em Facebook Ads.

 

Se você pretende lançar uma ferramenta de gestão de redes sociais, por exemplo, pode acabar perdendo espaço para as outras prioridades. Assim, se for possível, talvez seja melhor focar em empresas que já tenham um head de marketing. Nesse caso, o problema está entre os três mais críticos? Se sim, pode ser que sua ideia tenha potencial para dar certo.

Agora que você tem um problema estruturado, vamos começar a estudar as possibilidades de solução.

 

Pesquise soluções que já existem

A primeira barreira de várias startups está na concorrência. Há ideias muito boas, e pode ser que a sua já tenha sido colocada em prática. Por um lado, pode ficar mais difícil se diferenciar. Por outro, você tem a chance de aprender com os erros desse concorrente e criar algo ainda melhor.

Por isso, o próximo passo é pesquisar as soluções existentes. Para isso, você tem alguns caminhos a tomar. Um deles é a boa e velha pesquisa no Google. Procure se aprofundar bem e pensar como a sua persona, procurando solução para o problema.

Além disso, também é possível procurar por alguns possíveis consumidores e perguntar diretamente como eles resolvem o problema hoje. Pode ser que não utilizem exatamente um produto, mas é importante saber como superam os obstáculos. Todas essas conversas vão gerar insights para construir a solução lá na frente.

Outro ponto importante é compreender como as empresas concorrentes começaram e escalaram suas soluções. Qual foi o investimento necessário? Qual foi o crescimento no decorrer do tempo? Quantos usuários aderiram até hoje? Muitas dessas informações são fáceis de achar e vão fazer toda a diferença para responder à pergunta “minha ideia de startup é boa?”.

Por fim, não deixe de analisar a fundo as empresas escolhidas buscando por pontos em que elas falham. Quem sabe, ao suprir essas falhas, você já não se coloca como alternativa mais viável?

 

Valide a demanda pela solução antes de desenvolver

É comum que empreendedores comecem a desenvolver sem antes validar a solução. Antes de começar a desenhar qualquer rascunho, é preciso entrar em contato com o potencial consumidor e avaliar, junto dele, a viabilidade do produto.

Para isso, você pode fazer uma pesquisa de mercado ou gerar um questionário que possa ser compartilhado com perfis parecidos com o que você deseja alcançar. Ou realizar entrevistas com as pessoas, avaliando a real necessidade da solução. Aqui, um caminho fácil é procurar pelas pessoas em redes sociais, principalmente no LinkedIn. A ideia é fazer a validação sem gastar muitos recursos, já que o risco de perdê-los é mais alto neste momento.

Algumas perguntas que precisam ser respondidas:

 

  • No momento, como você resolve o problema em questão?
  • O que gosta e não gosta na solução atual?
  • Gostaria de ter uma solução melhor? Quanto pagaria por ela?

 

Explique para o entrevistado a sua solução e explore ao máximo suas opiniões, impressões, convicções. Para saber mais sobre testes de validação, você também pode ler este post.

 

Conseguiu descobrir a resposta para a pergunta?

“Minha ideia de startup é boa?” Se, depois de executar esses três passos, a resposta foi sim, chegou a hora de tirar o tão sonhado projeto do papel. Que tal começar com a criação de um modelo de negócio? Ele pode ajudá-lo a fazer conexões entre a sua ideia e a viabilidade dela no mercado, avaliando fontes de renda e potenciais parceiros que podem fazer as coisas acontecerem. Saiba fazer isso com o Canvas:

O QUE É BUSINESS MODEL CANVAS E COMO APLICÁ-LO NO SEU NEGÓCIO?

Se você já validou e está olhando para o Canvas em branco sem saber de onde tirar inspiração, confira também:

5 EXEMPLOS DE MODELO DE NEGÓCIO PARA INSPIRAR VOCÊ A TIRAR O PROJETO DO PAPEL

 

Leia mais sobre Startup


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.