O seu website é o seu cartão de visita. Se ele for bem elaborado, pode gerar vendas e reforçar sua posição de marca. Mas como acertar no formato? Como descobrir o que o usuário deseja quando chega ao endereço? Por meio do growth driven design (GDD), ou design focado em crescimento.

O GDD é um método de UX Design, ou design de experiência do usuário, que pode ser utilizado para construir ou refazer sites e aplicativos. Com base em dados e tentativas, o designer consegue realizar o projeto, conforme as necessidades dos usuários.  

growth driven design

Tomar decisões sobre um site sem utilizar dados como base muitas vezes compromete os resultados. Colocar um banner, por exemplo, pode parecer uma boa ideia. Entretanto, segundo pesquisa da Hubspot, 84% dos usuários deixam de utilizar um site por causa de propagandas e anúncios.

Assim, pode ser que esse banner desagrade as pessoas ao invés de atrair a atenção. Neste artigo, vamos explorar os princípios do growth driven design e como ele pode ajudar você a construir um site que proporcione bons resultados à sua empresa.

 

O que é growth driven design

O growth driven design é uma metodologia de desenvolvimento focada na construção e na otimização de sites para o alcance de objetivos determinados. Toda a estrutura é baseada em dados, personas e análises.

Sites construídos com essa técnica são testados várias vezes, até que todos os elementos cumpram sua função. Isso envolve páginas, ofertas, links, etc. Assim, é possível alcançar uma meta, como gerar mais conversão, por exemplo.

Alterar ou começar sites do zero é caro e leva muito tempo. Em uma abordagem tradicional, o site seria feito e colocado no ar, passando apenas pela aprovação da equipe de design e da empresa. O problema é que isso é um risco e pode levar à perda de investimento.

Apostar no growth driven design pode ser mais rentável. Além disso, é uma forma de se manter relevante, já que é possível alterar o site de acordo com as tendências de UX Design – conheça seis delas aqui.

Podemos dizer que o GDD tem três princípios:

  • Reduzir riscos – procura aumentar as chances de sucesso utilizando pesquisas, dados e desenvolvimento por etapas.
  • Aprender e aprimorar – os ajustes são realizados conforme os dados coletados e o aprendizado com o próprio público.
  • Decisões de Marketing e Vendas – coletar dados sobre usuários dentro do site é uma forma de conhecê-los e ajudar nas decisões estratégicas de  marketing e vendas.

Além disso, pode trazer benefícios como lançamento rápido, maior retenção de clientes e vantagem sobre os concorrentes.

 

De que maneira implementar uma estratégia de growth driven design

No formato tradicional, o projeto de desenvolvimento de um site pode durar meses e é publicado normalmente sem atualização nos dois anos seguintes. Entretanto, o website é um dos canais mais importantes do negócio e precisa agradar o usuário – não apenas o CEO ou os diretores.

O processo pode variar de acordo com o projeto, mas normalmente o growth driven design se dá desta forma:

 

Primeiro estágio – estratégia

No início, o projeto se parece com o desenvolvimento tradicional de um site. Aqui, é necessário construir uma base de trabalho para o GDD. Procure responder às seguintes questões:

  • Objetivos – quais são os objetivos do site? Quais métricas precisam ser melhoradas? Como isso se relaciona com os objetivos gerais do negócio?
  • Personas – qual é o grupo que vai receber o novo design? Quais são as suas necessidades? Quais plataformas ele utilizará para acessar?

Depois de definir esses objetivos (utilize a metodologia de OKRs para facilitar o processo), é hora de começar as pesquisas. Inicie com uma análise dos dados, ou pesquisa quantitativa, para saber em quais pontos a performance do site pode ser aperfeiçoada.

Se puder, faça também uma pesquisa qualitativa, procurando saber mais sobre seus clientes ideais. Vale realizar entrevistas, montar grupos focais, formulários, etc.

 

Segundo estágio – ciclo do growth driven design

Depois de definir suas prioridades, faça um rascunho do site. Não sacrifique muito a qualidade, mas evite gastar muito tempo nisso. Comece, então, o ciclo do growth driven design, que consiste em testar, analisar os resultados e fazer mudanças.

Na prática, o processo nunca termina, já que há sempre uma mudança ou outra possível.

 

Dicas para uma boa estratégia de GDD

Nem sempre é possível oferecer dicas gerais para um bom projeto de growth driven design; afinal, cada site e cada negócio têm necessidades específicas. Entretanto, podemos nos basear em algumas concepções sobre usuários:

  • 40% dos usuários abandonam um site se for preciso esperar três segundos ou mais para carregar. Portanto, preze o design leve.
  • 46% dos usuários de internet mobile dizem ter dificuldade de interagir com páginas e 44% reclamam ter dificuldade de interação. Assim, não deixe de contar com um projeto focado em mobile.
  • Apenas 55% dos negócios fazem testes nos sites visando medir a satisfação do usuário. Utilizando growth driven design, você se mantém à frente da concorrência.
  • Navegação ruim, anúncios e pop-ups excessivos, conteúdo mal posicionado e uso intrusivo de áudio ou vídeo são alguns motivos para que as pessoas não utilizem um site.

Fonte: Hubspot.

Você gostaria de saber mais sobre design e meio digital? Não deixe de baixar nosso infográfico sobre UX Design:

INFOGRÁFICO GRATUITO: GUIA DO UX DESIGN

Leia mais sobre Design Para seu negócio


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.