Você sabia que, ao utilizar quase qualquer aplicativo, está dependendo de um serviço em nuvem?  O armazenamento em nuvem, como é chamado, não é apenas para uso pessoal, como o Dropbox ou o Google Drive. Empresas utilizam tal recurso para alocar todas as suas entregas e sistemas. Grandes servidores físicos começam a desaparecer aos poucos.

Até o final de 2018, cerca de 50% das empresas no mundo fizeram a transição para serviços em nuvem. Não é à toa que a tecnologia seja coisa do futuro: é uma forma de companhias inteiras gerenciarem seus serviços online, com quase nenhuma possibilidade de perder informações e arquivos.

Neste artigo, você vai compreender melhor o que são esses serviços, como funcionam e quais os benefícios de optar por eles.

O que são os serviços em nuvem

Sem a internet, o hardware e o software de um computador estão contidos inteiramente na máquina. Todas as informações necessárias para seu uso são acessadas diretamente do próprio dispositivo.

Com o surgimento da web, as possibilidades se expandiram. A computação em nuvem permite que você acesse programas e informações que não estão na própria máquina. Isso pode incluir aplicativos, bases de dados, e-mails, arquivos e tudo o que é necessário para a sua empresa funcionar.

É como se você estivesse alugando espaço em um local externo, em vez de comprar mais espaço físico. Assim, paga apenas pelos recursos que utiliza. Os serviços em nuvem possuem quatro modelos diferentes:

  • Nuvem privada: empresas que possuem dados muito sensíveis ou dependem da nuvem para execução de seu trabalho por completo lançam mão de nuvens privadas. Isso significa que será gerenciada pela própria empresa ou uma terceirizada diretamente ligada ao negócio. Isso torna a opção mais segura.
  • Nuvem comunitária: quando diversas organizações dividem o acesso a uma nuvem privada, com um nível de segurança parecido. Franquias podem compartilhar da mesma nuvem, por exemplo.
  • Nuvem pública: são serviços em nuvem gerenciados por empresas externas, como Google ou Amazon. A opção traz flexibilidade, mas também oferece riscos um pouco maiores.
  • Nuvem híbrida: você também pode optar por um mix de serviços públicos e privados em nuvem. Ao dividir seu trabalho entre os modelos, você pode ganhar em custo e em segurança.

Com todas essas definições sobre segurança, você deve estar se perguntando se realmente vale a pena optar por isso. Confira as vantagens a seguir.

Benefícios de escolher os serviços em nuvem

Se você utiliza um servidor físico na sua empresa, é hora de começar a pensar na substituição pela nuvem porque:

  1. Há redução no custo com serviços de TI, como na manutenção de servidor, na contratação de pessoal, etc. Se você opta por uma nuvem pública, existe uma flexibilização do serviço, que reduz ou aumenta o preço conforme sua necessidade. Por isso, você não terá um gasto fixo todo mês, podendo reduzir de acordo com o crescimento da sua empresa.
  2. Se você vê seu negócio crescendo, provavelmente precisa contratar mais espaço de armazenamento. Com um servidor físico, esse investimento é único e pode mais tarde se mostrar desnecessário. Com a nuvem, isso não ocorre.
  3. Serviços em nuvem tornam a empresa mais escalável, já que os recursos estão disponíveis sempre que precisar.
  4. O acesso por parte de todos os membros do time, inclusive fora do país, é fácil e rápido, bastando uma conexão à internet.

Todos esses benefícios fazem com que a nuvem seja cada vez mais empregada por negócios de todo o mundo – pequenos ou grandes. Mas é importante não se esquecer das questões de segurança que citamos acima. Utilize o modelo que estiver mais alinhado à sua empresa e ao valor que você oferece para os clientes.

Isso é importante não só para sua empresa, como também para os usuários, que precisam de certa garantia de que suas informações não serão divulgadas. Já falamos sobre como a legislação brasileira criou uma lei para cuidar desses casos. Saiba mais aqui.

Empresas de qualquer tipo podem usar serviços em nuvem. No entanto, algumas dependem disso para funcionar e executar entregas. Destacamos o principal abaixo.

Negócios que dependem de serviços em nuvem

Alguns modelos de negócio surgiram graças à internet e executam suas entregas com base nela. Por isso, as informações não devem ficar em servidores físicos, mas totalmente online. O modelo mais comum que se encaixa nessa categoria é o SaaS (Software as a Service).

Negócios SaaS são aqueles que têm como produto um software online, gerenciado completamente online. E-mails, calendários, ferramentas de conferência, gerenciadores de projetos, ferramentas para empresas como o Trello – tudo isso pode ser caracterizado como tal.

Os consumidores de empresas desse tipo pagam uma mensalidade pelo serviço e podem acessar todos os recursos oferecidos. As soluções de SaaS são muitas vezes inovadoras e resolvem dificuldades dos usuários que antes não tinham uma resposta.

Aqui no Inovação Sebrae Minas, recebemos um post exclusivo com conselhos para quem deseja empreender com SaaS. O autor desse post é Diego Gomes, cofundador da Rock Content e da plataforma 12Minutos.

Confira quais são os ensinamentos do empreendedor!

Leia mais sobre Ambiente Digital Para seu negócio


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.