Quando feito da maneira certa, o storytelling, ou habilidade das marcas de contar histórias, pode aumentar, e muito, as vendas. Um bom branding inspira consumidores a confiar em você: o cérebro valoriza mais histórias do que fatos e as armazena.

A beleza disso tudo é que o storytelling pode ser incorporado à mensagem de marca das mais variadas formas. Blogs, e-books, site, anúncios e até mesmo a comunicação interna recebem toque especial com histórias e têm mais potencial de cativar as pessoas – não só consumidores, mas parceiros e investidores.

Mas como se destacar em um mundo que parece tomado pela sobrecarga de informação? É preciso traçar um planejamento de marca que envolva o storytelling e seja único da sua empresa. Neste artigo, vamos listar algumas dicas para fazer isso, baseadas em novas tendências da área.

 

Seja autêntico

A primeira regra para criar um bom storytelling para a sua marca é ser autêntico e verdadeiro. Afinal, o que está em jogo é a confiança que sua audiência deposita na empresa. Além disso, consumidores sabem quando você está mentindo e podem se tornar detratores, dependendo do tamanho da mentira. Por isso, tentar enganá-los pode ter efeitos desastrosos.

A história em torno da sua marca deve, portanto, falar a verdade e demonstrar fraquezas quando for necessário. Se você utiliza ingredientes locais e orgânicos para produzir alimentos, e isso, porém, encarece o produto, não tenha medo de admitir. É ótimo contar suas vitórias, mas, se desejar que sua marca seja mais humana, é preciso que existam falhas.

Já falamos por aqui sobre como autenticidade é a principal característica que atrai fãs de influencers. Confira neste infográfico sobre o tema (link a ser aprovado).

 

Utilize os dados a seu favor

Até 2020, vamos produzir 1,7 megabyte de dados por segundo, por pessoa, no mundo. Marcas podem aproveitar essa tendência para criar histórias que tenham tudo a ver com sua audiência e sejam realmente engajadoras.

Um dos melhores exemplos de história contada através de dados é do Google. A cada ano, a empresa lança um resumo sobre as pesquisas feitas, por meio do qual podemos captar tendências e assuntos dominantes do ano.

É possível criar histórias emocionantes através de dados e despertar identificação na sua audiência. Se você se interessa por big data, não deixe de ler este outro post.

 

Envolva as pessoas na história

Uma tendência do storytelling é envolver as pessoas cada vez mais no que você deseja contar. Hoje, consumidores têm várias plataformas nas quais podem compartilhar pensamentos, opiniões e experiências. Utilize esse conteúdo com o intuito de contar a história da sua marca.

Um ótimo exemplo do uso de conteúdo de consumidores é do Airbnb. A plataforma chamada Community Stories (Histórias da Comunidade) compartilha experiências de vida dos anfitriões, reforçando a característica humana da marca.

Dessa forma, as histórias contadas são dos próprios usuários. O trabalho da empresa está em dividir isso com a audiência, nesse caso, em uma página específica.

 

Tenha um bom final

Um bom storytelling deixa algo para a audiência. Qual foi a lição aprendida? Qual é a mensagem que todos vão “levar para casa”? Defina isso na sua estratégia, a fim de deixar uma impressão duradoura nas pessoas.

A história da criação da Apple, por exemplo, que diz que Steve Wozniak e Steve Jobs começaram a empresa de uma garagem, com um final incrível – por mais que eles tenham ferido o princípio da autenticidade, já que não era exatamente real.

Ainda assim, o que a história deixa de mensagem é que é possível começar precariamente, acreditar no seu produto e alcançar o sucesso um dia.

 

Desperte o lado emocional

Somos atraídos por histórias comoventes. Os filmes se baseiam nessa premissa e os que se saem bem têm sucesso de bilheteria. Por isso, procure despertar emoção na sua audiência. E isso pode ser feito com qualquer recurso! Veja, por exemplo, este comercial:

Os personagens são caixas de leite! Ainda assim, é possível ter emoção ao assistir. Seja tristeza, seja felicidade, seja susto, seja riso, se você consegue despertar sentimentos nas pessoas, dificilmente será esquecido.

 

Conte o que importa

Sabe aquela sensação de quando você conta uma história para seu grupo de amigos e ninguém ri no final? Você definitivamente não quer que isso ocorra com a sua estratégia de storytelling.

Divida com a sua audiência fatos que realmente importam. Detalhes e ocorrências corriqueiras não são engajadoras. Procure resumir o que quer passar em três pontos importantes e trabalhe neles de uma forma que seja agradável de ouvir.

 

Construir storytelling leva tempo

Contar a história da sua marca e fazer as pessoas se interessarem por ela é um trabalho minucioso, que leva tempo. Você não pode emplacar uma história como se fosse uma notícia nos jornais e esperar que as pessoas se lembrem dela na próxima semana.

Por isso, o ideal é que o storytelling seja construído aos poucos e esteja presente nos canais da sua marca a fim de aumentar a visibilidade. Se você ainda não trabalha o marketing digital da empresa, que tal começar? Ele certamente vai ajudá-lo a contar a história que deseja.

Confira no conteúdo:

MARKETING DIGITAL É IMPORTANTE? SAIBA O QUE ELE PODE FAZER PELA SUA EMPRESA

 

Leia mais sobre Empreendedorismo Inspiração Para seu negócio


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.