Como investir na saúde mental dos colaboradores da empresa

Compartilhe este conteúdo:

A saúde mental é a capacidade de lidar com as emoções e os desafios do dia a dia de maneira equilibrada. Como seres humanos diversos e singulares, não existe uma fórmula para cuidar dela. Cada pessoa responde a uma situação de maneira diferente, por essa razão, é preciso conhecer os próprios limites e contar com a ajuda de profissionais quando for necessário.

 

Nas organizações, é papel dos gestores e dos líderes se atentarem para a saúde mental dos colaboradores. O ambiente organizacional, as relações interpessoais e as ferramentas que as empresas disponibilizam são fundamentais para evitar o disparo de gatilhos de estresse, ansiedade e Síndrome de Burnout (ou Síndrome do Esgotamento Profissional), por exemplo.

 

Um dos principais motivos para a saída de talentos são os ambientes de trabalho estressantes, de acordo com a pesquisa feita pela Talkspace. Incentivar e respeitar a saúde mental dos colaboradores tem sido fundamental não só para manter o clima organizacional  agradável, como também para a retenção de profissionais no negócio.

 

Sabendo da importância do tema, reunimos neste artigo 6 formas de cuidar da saúde mental das pessoas no trabalho. Vamos conhecer?

 

O que é saúde mental

Saúde mental é a capacidade de gerenciar as próprias emoções e responder aos desafios cotidianos. Uma pessoa que cuida de sua saúde mental e a respeita  tem a capacidade de reconhecer quando precisa buscar ajuda, de estar bem consigo e conhece os próprios limites.

 

Vale ressaltar que a falta de saúde mental não se configura como uma doença mental. Mas sim o reconhecimento de que um colaborador não está em condições emocionais de desfrutar de bem-estar e paz interior. Nesse caso, é preciso identificar de onde vem a situação. Veja alguns motivos comuns nas empresas:

 

Ambientes hostis de trabalho

 

Líderes desencorajadores

 

Falta de perspectiva de crescimento

 

Incapacidade de colocar limites no trabalho

 

Excesso de atividades laborais

 

Clima organizacional desagradável

 

6 formas de cuidar da saúde mental dos colaboradores

O respeito e o cuidado com a saúde mental dos colaboradores não favorecem apenas as pessoas. Empresas atentas ao tema garantem times mais engajados e produtivos em suas tarefas.

 

Afinal, um colaborador estressado, esgotado ou indisposto não é capaz de desempenhar suas atividades com eficiência. Por outro lado, pessoas emocionalmente dispostas, engajadas e com a saúde mental em dia tem condições plenas de realizar feitos inimagináveis. Nos negócios também.

 

Por esses motivos, é essencial respeitar a saúde mental dos colaboradores  e cuidar dela. E agora vamos mostrar como fazer isso na prática. Conheça 6 formas de apoiar profissionais no seu ambientes de trabalho.

 

Manter uma comunicação eficaz

A criação de um ambiente de trabalho mais agradável passa pela qualidade da comunicação entre os colaboradores. Por isso, líderes e gestores devem incentivar diálogos claros, gentis e respeitosos entre os times.

 

Reuniões periódicas de alinhamento também ajudam a construir relações saudáveis, uma vez que diminui a chance de ruídos na entrega das mensagens.

 

É importante destacar ainda que, para manter uma comunicação eficaz, é preciso respeitar e valorizar o tempo do outro. Na prática, isso quer dizer evitar conversas sem foco e reuniões cujo assunto poderia ser tratado por e-mail.

 

Compreender o ambiente doméstico

O trabalho remoto se tornou parte do mercado de trabalho. Com a pandemia e a necessidade de isolamento social, milhares de colaboradores tiveram de adaptar a rotina familiar ao ambiente laboral. Hoje, com o grande número de empresas adotando o home office como modelo permanente de atuação, é imperativo aprender a lidar com os desafios de trabalhar de casa.

 

Afinal, esta é uma das formas de cuidar da saúde mental dos colaboradores: compreendendo as diferentes dinâmicas familiares no espaço laboral. Há pessoas que dividem casas com amigos, que moram com os pais, que têm filhos, etc. Todas as características devem ser respeitadas e incluídas.

 

Oferecer treinamento e ferramentas para cuidar da saúde mental

Colaboradores encorajados e apoiados a cuidar da saúde física e mental estão mais propensos a permanecer na organização. A atração, a retenção e a redução da saída de talentos têm relação direta com a oferta de ferramentas para o autocuidado.

 

Recursos como Gympass, palestras e acompanhamento psicológico, que favorecem o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho, são percebidos positivamente pelos colaboradores.

 

Incentivar gestores a priorizar a saúde mental

A construção de um ambiente de trabalho agradável passa pelas mãos dos líderes e gestores. Como eles são os responsáveis por delegar tarefas e gerir equipes, cabe a esses profissionais orientar e encorajar o equilíbrio entre demandas laborais, o descanso e o lazer.

 

Além disso, oferecer um espaço de acolhimento e compreensão às demandas das pessoas também é uma boa prática para cuidar da saúde mental dos trabalhadores.

 

Cuidar do clima organizacional

Trabalhar em um ambiente hostil é um dos principais desencadeadores do desequilíbrio mental e emocional dos colaboradores. Por essa razão, é tão importante fazer com que o clima organizacional seja agradável.

 

Para isso, você pode adotar estratégias para resolução de conflitos, fazer pesquisa de clima e valorizar o cultivo de relações amistosas, gentis e cuidadosas no ambiente laboral.

 

Incentivar a desconexão

Uma pausa na enxurrada de informações à qual as pessoas são expostas diariamente. Esse pode ser o caminho para o cuidado eficaz da saúde mental, e deve ser incentivado no ambiente de trabalho.

 

Passar horas sem checar as notificações do Instagram, do Facebook ou do WhatsApp, fazer aulas de meditação ou passear ao ar livre são práticas que merecem ser encorajadas entre os membros da equipe. Afinal, elas são determinantes para melhorar a qualidade de vida.

 

Nunca antes na história da humanidade as pessoas estiveram mais suscetíveis a desequilíbrios mentais e emocionais. No trabalho, nas relações interpessoais e na internet, há uma pressão latente por produtividade e sucesso. E os desafios da era digital, que exigem velocidade, instantaneidade e conexão, também impactam diretamente a sensação de bem-estar.