Entenda a diferença entre incubadora e aceleradora de startups

Compartilhe este conteúdo:

Com as constantes mudanças, novos negócios têm surgido no mercado. A movimentação de modelos inovadores fomentou também o aparecimento de uma rede de apoio a esse tipo de operação: são as aceleradoras de startups e as incubadoras de startups. Você já ouviu falar delas?

 

Assim como todo e qualquer negócio precisa de apoio até alcançar seu ponto de equilíbrio, as startups também necessitam de ajuda especializada a fim de crescer e escalar. Para cada etapa e de acordo com a maturidade, existe uma solução. Uma incubadora de startup ou uma aceleradora de startup.

 

É comum haver confusão entre os termos. Por isso, neste artigo, vamos conhecer as principais diferenças entre elas. O objetivo é que, ao final do post, você saiba exatamente a quem recorrer com o objetivo de alavancar sua operação.

 

Incubadora de startup: o que é

 

Incubadoras de startups funcionam de modo similar às incubadoras de bebês. Dão o suporte necessário para que o organismo encontre as condições externas ideais rumo ao crescimento saudável. Do nascimento, até a hora de “chegarem ao mundo”. Acontece com os recém-nascidos, e é uma metáfora para o dia a dia das startups incubadas.

 

Geralmente, uma incubadora de startup está ligada ao poder público, às instituições de ensino ou às organizações sem fins lucrativos. Todas elas visam apoiar negócios inovadores a se estabelecerem no mercado, trazer soluções de problemas cotidianos ou fomentar o desenvolvimento de determinado local ou região.

 

Nos processos de seleção, as startups que apresentam o maior potencial de atender a essas demandas são chamadas para receber o apoio das incubadoras. O foco é preparar e consolidar a operação em termos de gestão, maturidade, modelo de negócio e estrutura para lidar com um mercado aquecido e competitivo também.

 

Aceleradoras de startup: o que é

As aceleradoras são outro modelo de apoio às startups. Elas focam em tornar os negócios lucrativos em um curto espaço de tempo, que é o intervalo de aceleração. Em função disso, recebem um suporte estruturado, que vai de mentoria com especialistas a acesso a mercados de investimento para startups.

 

Funcionam como uma plataforma de impulso voltada ao crescimento. Geralmente, as startups são aceleradas quando estão próximas de alcançar o ponto de equilíbrio, isto é, quando estão prestes a gerar lucro.

 

Enquanto uma incubadora visa à estruturação do negócio, uma aceleradora de startup direciona a operação para o crescimento acelerado em direção ao lucro. Por isso, o processo seletivo para ingressar em programas de aceleração é mais concorrido.

 

Ele exige mais maturidade e estruturação por parte das startups e também é mais criterioso, já que os resultados da aceleradora estão diretamente ligados ao lucro obtido pela startup acelerada.

 

Principais diferenças entre incubadoras e aceleradoras

A principal diferença entre uma incubadora de startup e uma aceleradora de startup está no tipo de ajuda oferecida ao negócio. Enquanto a primeira disponibiliza as condições favoráveis para a estruturação de uma ideia, a segunda trabalha com operações já em etapa de crescimento, quando o foco é gerar lucro.

 

Mas não é só isso. Visando facilitar a compreensão das diferenças entre incubadoras e aceleradoras de startup, montamos um quadro explicativo. Veja:

 

Incubadora

Infraestrutura compartilhada com outros negócios.

 

Foco em capacitação para empreendedores com cursos, mentorias, workshops, treinamentos.

Suporte para o desenvolvimento e a validação de ideias, produtos e modelos de negócio.

Atendimento a startups embrionárias, em fase de ideação ou MVP.

 

Processo seletivo menos concorrido que o da aceleradora.

 

Modelo tradicional de suporte e consultoria.

 

Fomento à pesquisa e à inovação local.

 

Ligada geralmente a instituições de ensino, ao poder público e a organizações sem fins lucrativos.

 

Aceleradora

Ambiente rico para networking e acesso a mercados de investimento.

 

Foco em resultados, na escalabilidade e na geração de lucro.

 

Catalização da evolução do negócio.

 

Suporte para aceleração da operação e a otimização dos resultados.

 

Atendimento a startups em fase de tração ou de scale-up.

 

Processo seletivo concorrido, com critérios variáveis de entrada, como mercado, equipe e negócios.

 

Modelo disruptivo de suporte e consultoria, com o uso de metodologias ágeis.

 

Ligada geralmente a empresas privadas que visam ao retorno financeiro.

 

Como escolher o modelo certo para o seu negócio?

Identificar em que fase a operação do negócio está é o primeiro passo para encontrar o melhor modelo de suporte.

 

Quando procurar uma incubadora de startup:

 

Seu projeto está em fase inicial.

 

A operação ainda não está completamente estruturada.

 

Você sente falta de capacitação em áreas como gestão, finanças, marketing e vendas.

 

Seu modelo de negócio é mais tradicional, não propõe soluções inovadoras ou disruptivas.

Você precisa contar com infraestrutura, como espaço para reunião, laboratório, secretaria para desenvolver os projetos.

 

Você busca um ambiente estimulante para o surgimento e o desenvolvimento de novas ideias.

Sente falta de um suporte especializado para melhorar seu desempenho.

 

Quando procurar uma aceleradora de startup:

A startup oferece uma solução tecnológica, inovadora e disruptiva ao mercado, com alto poder de crescimento.

 

Seu modelo de negócio é repetível e escalável.

 

O projeto está em fase de crescimento.

 

Sua equipe tem sinergia e foco no crescimento.

 

Os processos estão 100% estruturados, e você quer melhorá-los.

 

Você quer encontrar maneiras de maximizar os lucros.

 

Você está em busca de fundos de investimento para escalar a operação.

 

Você deseja encontrar suporte de profissionais e empresários com experiência no mercado.

Embora de formas diferentes, as incubadoras e as aceleradoras de startups têm o mesmo propósito: auxiliar empresas a se desenvolverem. A grande diferença entre elas é o ponto de partida.

 

É comum ver as pessoas identificarem as aceleradoras de startup como uma evolução das incubadoras. Mas esse entendimento não traduz exatamente a realidade. Mesmo com as incubadoras incorporando as práticas das aceleradoras, como o uso de metodologias ágeis a exemplo da SMART, cada uma tem seu papel no estágio de vida do negócio.

 

Para quem empreende e está em busca de apoio no mercado, o importante é saber: em que fase está a minha empresa? Assim, você vai encontrar a resposta exata de que tipo de ajuda procurar. E isso fará toda a diferença.

 

Quer saber mais sobre como funcionam as startups e o que esperar do mercado brasileiro? Baixe agora mesmo nosso infográfico sobre o Marco Legal das Startups.