E-commerce

A fatia das vendas pertencentes aos E-commerces cresceu ao longo dos anos de forma consistente. Em 2020, ano da pandemia do novo coronavírus – Covid-19 –, esse crescimento foi ainda maior: de 73,88%, segundo o índice MCC-ENET. Com tantas oportunidades à vista, também sobe a concorrência.

Mesmo com as lojas físicas voltando a abrir, as compras on-line já se tornaram parte da vida dos brasileiros.

Aqui entra o Marketing Digital. Ficou mais caro e mais difícil atrair os clientes certos. Por essa razão, você precisa investir em estratégias cada vez mais eficientes se quiser manter um bom ROI (Retorno Sobre o Investimento), ou seja, o retorno que você tem com o que investe em campanhas).

Ainda não tem um E-commerce? Veja 7 passos para começar um.

Neste conteúdo, você vai acompanhar algumas dicas de Marketing Digital para o seu E-commerce, além de ferramentas úteis e as principais tendências desse modelo de negócio.

Dicas de Marketing para E-commerce

Confira algumas dicas indispensáveis para rechear a sua Estratégia de Marketing Digital no E-commerce.

Alcance mais clientes com o Google Shopping

O Google Shopping é cada vez mais utilizado pelas pessoas que procuram por produtos no grande buscador. Além de colocar seus produtos em evidência apenas por estarem indexados por lá, você pode investir em anúncios, puxando a sua vitrine para o topo.

Para isso, você deve submeter seus produtos ao Google Merchant Center e conectar sua conta ao Google Ads. Automaticamente, conforme você investe em anúncios, o Google vai gerar relevância no Shopping.

É uma maneira incrível de gerar tráfego para o seu E-commerce.

Invista em Campanhas de Remarketing

Mas não basta estar no Google Shopping para gerar vendas expressivas. Vale também investir em outros formatos de anúncio, especialmente Remarketing. Esse é um jeito de colocar seus produtos na rede de display (banners em outros sites), estando à vista dos usuários que tiveram acesso a eles em algum momento.

Quando você acessa um produto e depois vê campanhas desse produto em todos os lugares, é o Remarketing agindo.

O Remarketing aumenta sua taxa de conversão e suas vendas porque “pesca” de volta clientes que estavam apenas “olhando”. Talvez agora eles estejam prontos para comprar e seu anúncio estará lá para lembrá-lo disso.

Transforme likes em vendas no Instagram

Por muitos anos, acreditamos que campanhas pagas geravam vendas e marketing nas redes sociais porque eram mais focadas em Branding. No entanto, esse jogo mudou, e ambos os canais podem ser utilizados com diferentes objetivos.

O Instagram, rede social com muito foco em imagens e produtos, agora apresenta formatos de campanha em que seu perfil se transforma em uma vitrine.

Para isso, você precisa primeiro ter o perfil no Instagram e depois “subir” seu catálogo de produtos para o Facebook. Assim, você poderá ter “etiquetas” nas suas fotos, com links diretos para o seu E-commerce. Veja um guia com um passo a passo para  usar o Facebook.

Pronto! Com essa “mágica”, você elimina um passo da jornada de compra e entrega o produto de bandeja ao cliente.

Reforce as indicações

Nós tendemos a confiar muito mais em amigos e familiares do que em marcas. Se algum amigo recomenda um produto, a chance é muito maior de aderirmos à compra. E você pode influenciar essas indicações via Marketing.

Veja essa ação da marca de cosméticos “quem disse, Berenice?” junto com a empresa de sandálias Havaianas.

Quem comparecesse às lojas físicas poderia ganhar brindes de produtos novos das marcas. Assim, ficou mais fácil não só amplificar o alcance, mas também oferecer o teste desses produtos, que mais tarde vão virar indicações entre amigos e familiares.

Você também pode oferecer cupons individuais – se alguém utilizar o cupom, quem o enviou ganha um desconto.

Fortaleça seu Branding

Você já pensou na estruturação do seu Branding como Estratégia de Marketing Digital?

A audiência interage com a sua marca, que não é apenas um nome, mas uma forma de expressar o que sua empresa oferece aos clientes.

Veja algumas dicas para impulsionar o alcance da sua marca:

Crie um nome e um logo.

Só assim você vai conseguir imprimir a sua marca em todos os materiais e em todas as campanhas. Com o nome e o logo, também podem vir paletas de cores e como essa marca visual deve se expressar em todos os meios. Saiba mais como criar identidade visual para a sua marca.

Crie um slogan.

Suas campanhas devem ter um lema, algo que guie todas as estratégias e o pensamento por trás da sua marca.

“Cada pessoa é um mundo e todo mundo importa”.

Identifique o público-alvo da sua marca.

Nenhum trabalho de Branding pode ser feito sem ter o cliente em mente. É assim que você entende o que o cliente deseja e o que ele precisa, a fim de corresponder a esses desejos e necessidades. Saiba aqui como definir seu público-alvo.

Tenha sua marca em todos os pontos
de contato com o cliente.

Tenha sua marca em todos os pontos de contato com o cliente. Seu lema e sua pegada visual devem estar nas redes sociais, no site, nas campanhas pagas, nas comunicações por e-mail e até mesmo no atendimento ao cliente. Ter um Manual de Marca ajuda bastante nessa hora.

Confira outras dicas para construir um Branding de bom alcance.

Muito bem, agora você tem dicas valiosas para divulgar e aumentar as vendas do seu E-commerce. Confira, abaixo, ferramentas que vão ajudar a operacionalizar tudo isso.

Ferramentas para E-commerce

Veja algumas ferramentas que vão ajudar a impulsionar a sua Estratégia de Marketing para E-commerce.

Mailchimp

Se você ainda não tem uma base de leads que possa ser utilizada para enviar newsletters e manter um relacionamento com clientes, está na hora de criar uma.

O Mailchimp é um dos mais empregados nesse sentido. Gratuito até 2.000 inscritos, tem ferramentas de design, formatos de segmentação de leads e formulários que você pode “embedar” no seu site e nos seus pop-ups.

Incentive seus clientes a realizar compras, envie campanhas com desconto e muito mais.

Zendesk

Outro ponto importante de um E-commerce é o atendimento ao cliente. Por cinco dólares por atendente por mês, você pode contratar a plataforma da Zendesk, uma das líderes nesse segmento.

O atendimento deve estar ligado ao seu Branding: se a proposta é ser uma marca humana, ofereça atendimento humano.

Por meio do serviço, é possível atender clientes por e-mail, chat, telefone e redes sociais. Melhore cada vez mais seu relacionamento com clientes oferecendo a eles soluções rápidas e inteligentes para seus problemas, além de tirar dúvidas.

Canva

Caso deseje alimentar as redes sociais e oferecer uma proposta visual interessante ao seu E-commerce, pode precisar do Canva.

A ferramenta de design pode ser pilotada por leigos e ainda tem templates prontos, que você pode adaptar com a sua marca. É uma plataforma gratuita, mas com recursos extras que podem ser contratados por um valor mensal.

Google Analytics

Sem conhecer as métricas do seu E-commerce, fica difícil alcançar mais vendas. O Google Analytics é a mais famosa e completa plataforma de coleta de dados e traz muito conhecimento sobre sua audiência e o comportamento dela.

Faça a instalação no seu site para começar a coletar dados e aplique esse conhecimento nas Estratégias de Marketing e Vendas. Confira aqui alguns dos principais indicadores para acompanhar por lá.

Google Ads

Muito da publicidade on-line é feita dentro do Google. Seja na rede de display, seja na rede de pesquisa, seu E-commerce está perdendo vendas ao não investir em mídia paga.
Por isso, a plataforma Google Ads é tão importante. É nela que você gerencia e acompanha todas as campanhas, observando o que tem obtido performance mais relevante e o que pode ser descartado da estratégia.

Listamos aqui algumas certificações gratuitas on-line, dentre elas a de Google Ads, confira.

Se você ainda não tem uma plataforma de E-commerce, temos outro artigo que fala sobre algumas muito utilizadas e que pode ajudar você a escolher. Veja aqui.

Agora que vimos algumas instruções básicas para impulsionar seu E-commerce, que tal ficar por dentro das últimas novidades?

Tendências para E-commerce

Além do crescimento vertiginoso das vendas on-line, outras tendências estão chegando para ficar.

Marketplace:

utilize a força de Marketing de empresas maiores para incluir seus produtos e alcançar muito mais clientes. Saiba o que é Marketplace e como colocar seus produtos nessas vitrines aqui.

Busca por voz:

com a popularização de equipamentos como a Alexa, os assistentes virtuais fazem cada vez mais parte do nosso dia a dia. Você deve estar preparado para otimizar seu E-commerce e fazê-lo mais atrativo nas buscas por voz. Quais são as perguntas que seus clientes fazem por voz? Como você pode respondê-las?

Novas opções de pagamento:

quanto mais pessoas aderem às compras on-line, maior é a variedade de meios de pagamento exigidos. Esteja preparado para abraçá-las, incluindo opções como Google Pay, Paypal, Apple Pay, além dos tradicionais cartões de crédito.