A todo momento, somos estimulados de alguma maneira. Escutamos uma música que nos dá nostalgia, temos necessidade de comer ao sentirmos o cheiro daquele salgado da lanchonete favorita, passamos alguns minutos olhando vitrines de lojas que nos fazem querer comprar. Isso são nossos sentidos em ação. E eles podem ser usados de forma estratégica para os negócios. Sabe como? Por meio do marketing sensorial.

De acordo com pesquisa feita, em 2019, pela Box 1824, empresa especializada em tendências de comportamento e inovação, o consumidor brasileiro está cada vez menos impulsivo, ou seja, é necessário uma estratégia mais elaborada para atraí-lo e, consequentemente, engajá-lo com a marca. E o marketing sensorial, que alia o processo de compra aos estímulos do cérebro — estudados pelo neuromarketing —, é perfeito para isso.

É uma forma também de a empresa se diferenciar de outras no mercado. Quer saber como colocar em prática o marketing sensorial? Vamos contar neste post.

Os cinco sentidos do marketing sensorial

O marketing sensorial é uma estratégia que valoriza a interação momentânea pelos estímulos do olfato, da visão, do paladar, da audição e do tato. Isso instiga a relação do cliente com a marca, atrai e impulsiona o desejo de compra, graças a uma experiência completa e positiva.

Olfato

Quem nunca passou pela loja da Melissa e das Havaianas, empresas do segmento de calçados, e sentiu aquele cheirinho único? O cheiro bom, colocando o olfato em ação, dá uma sensação prazerosa e uma vontade de ir até a loja, ficar mais tempo e consumir.

Outro exemplo é o Dunkin Donuts. Com a missão de fazer as pessoas optarem por seu estabelecimento na hora de tomar café, a empresa norte-americana, especializada em rosquinhas, inovou. Em sua filial na Coreia do Sul, o Dunkin Donuts adicionou pequenas máquinas de aroma de café no interior dos ônibus urbanos. Sempre que o jingle da empresa era tocado na rádio do transporte público, o aroma era esborrifado, despertando o interesse das pessoas.

A ação teve grande sucesso e retorno para o Dunkin Donuts. Durante o período da campanha, as vendas nas lojas da empresa perto dos pontos de ônibus aumentaram em 29%.

As empresas do ramo de alimentos, como restaurantes e lanchonetes, podem se aproveitar muito dessa estratégia. Afinal, aroma de comida é ótimo e desperta a fome de quem passa perto.

Negócios que trabalham com roupas e/ou objetos para bebês também podem usufruir do cheirinho incrível dos nenéns, buscando instigar boas sensações nos consumidores. Assim como lojas de viagens podem utilizar o aroma do mar ou outras fragrâncias que retomam a sensação de estar na praia ou em outros locais.

Visão

A visão é o sentido que mais pode ser trabalhado no marketing sensorial. Com uma estratégia de branding bem-definida, você sabe exatamente quais os objetivos da sua marca e o que deixar na mente do consumidor, tornando-se uma referência.

No Top Of Mind de 2019, prêmio entregue pela Rede Globo e pelo jornal Folha de S. Paulo, por exemplo, o grande vencedor como marca mais lembrada pelos consumidores foi o sabão Omo, lavador de roupas da Unilever. Apostando em cores fortes, como o vermelho e o azul, e com um design simples, o Omo se tornou referência para as pessoas.

Fora do Brasil, temos a rede de fast-food Mc Donald’s e o refrigerante Coca-Cola como outros dois grandes exemplos de marcas competitivas e referência na mente dos consumidores.

Outras estratégias de marketing sensorial que podem ser colocadas em prática utilizando a visão são as famosas vitrines, a decoração e a disposição das roupas/sapatos/alimentos/objetos a ser vendidos. A sensação de limpeza e organização de uma loja ou supermercado desperta sentimento bom que ajuda na fidelização do cliente e no momento de decisão de compra.

Paladar

Mesmo sem saber, algumas pessoas já colocam o marketing sensorial em prática em alguns lugares há um tempo. Sabe aquele cafezinho, biscoitinho, que você ganha quando está em uma sala de espera de um consultório médico, por exemplo?! É uma estratégia. E muito importante.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLEST) em 2018, as pessoas não gostam de esperar e, principalmente, não gostam de filas, o que dificulta o processo de venda.

Então, quando se oferece algo de forma gratuita para o paladar do consumidor, como os lanchinhos, o processo de espera se torna mais prazeroso. É algo que não tem custo elevado e traz um bom benefício para os negócios, já que você fideliza o cliente e ainda evita desgastes.

Audição

Assim como no caso do paladar, a audição é uma ótima aliada para quem quer tornar o momento de espera do consumidor mais prazeroso. Mas tem de ser colocada em prática com cautela, pois a sua utilização varia de acordo com o ambiente.

Se o negócio é uma loja para jovens, crie uma playlist personalizada e utilize músicas atuais e mais diversificadas. Em um ambiente voltado para um público mais velho ou empresarial, aposte em músicas mais clássicas. Agora, em uma sala de espera de um consultório médico, o melhor são as músicas calmas, que dão tranquilidade.

É necessário ter sempre atenção em relação ao volume. Se estiver muito baixo, ninguém vai escutar, e o objetivo não será alcançado. Já se o volume ficar muito alto, a estratégia vai dar errada, porque ao invés de levar uma sensação prazerosa ao consumidor, acabará causando incômodo.

Tato

Talvez o mais difícil de ser explorado, o tato também é fundamental para a estratégia do marketing sensorial, principalmente, na hora de visitar uma loja.

Quando se vai a alguma loja, a ideia nem sempre é só “dar uma olhadinha”. É importante pegar o objeto que quer adquirir, sentir a textura, experimentar… são processos valiosos no processo de decisão de compra.

Outro exemplo são as empresas de cinema, que também utilizam o tato na experiência do consumidor. Nos cinemas 4, 5 e 6D, o tato, assim como os demais sentidos, é explorado durante a exibição dos filmes, tornando a experiência única e divertida. A cadeira treme, simula queda, subida, freada, tudo simultaneamente com o que ocorre na telona.

Agora que você sabe mais das estratégias de fidelização do cliente, utilizando o marketing sensorial, aproveite para aprender também de marketing de relacionamento e tenha ainda mais sucesso nos seus negócios!

Leia mais sobre Destaque


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.