Mercado de games: como investir em jogos eletrônicos e faturar

Compartilhe este conteúdo:

O Brasil é o país que mais lucra com o mercado de games na América Latina. Em 2021, o setor deve movimentar cerca de 12 bilhões de reais, de acordo com dados levantados pela consultoria Newzoo. Enquanto para algumas pessoas jogos eletrônicos são apenas diversão, para muitas outras a brincadeira é vista como negócio e como uma boa oportunidade de faturar.

 

Desde a década de 1990, quando o mercado gamer teve um boom com os jogos para desktop, lá se vão grandes mudanças. A ascensão da área volta a ocorrer após mais de 20 anos de uma indústria monopolizada por grandes empresas. A diferença é que, hoje, pequenos e médios empreendedores também podem investir e faturar com os jogos eletrônicos.

 

Quer conhecer e saber como investir nesse novo mercado de games? É o que te mostramos agora. Boa leitura!

 

O que é o mercado de games?

É um universo rico de oportunidades de negócio que abarca todas as  atividades voltadas ao desenvolvimento e à comercialização de jogos eletrônicos. O setor conseguiu manter seu faturamento em alta mesmo ao longo da pandemia.

 

Hoje, ele se apresenta como uma boa oportunidade de investimento para quem tem conhecimento técnico em desenvolvimento e interesse pela área.

 

Como está o mercado gamer

O mercado em torno dos jogos eletrônicos é um dos maiores do mundo. A cada ano, a área cresce 10% e reúne um público de mais de 2 bilhões de pessoas ao redor do planeta. Embora com crescimento expressivo, o setor ainda deve se desenvolver mais.

 

Para ter uma ideia, por se tratar de uma forma acessível de diversão, com ótimo custo-benefício, gigantes da área de tecnologia como Amazon, Google e Apple investiram no mercado de games. As marcas aproveitaram para lançar seus jogos eletrônicos próprios por streaming durante a pandemia.

 

Os jogos desenvolvidos para celulares e tablets são um dos principais impulsionadores do mercado de games no Brasil e no mundo. Como a internet móvel está a todo vapor, agregando ainda mais qualidade, o setor tem atraído bastantes investidores.

 

A era digital também vem favorecendo o mercado de games independente. No tempo em que – nos anos 1990 – era inviável a competição com as grandes marcas, hoje desenvolvedores autônomos são capazes de criar, distribuir e divulgar seus jogos eletrônicos com mais rapidez e eficiência.

 

Como entrar no mercado de games

A criação de jogos eletrônicos está mais acessível. Pequenos empreendedores conseguem colocar no mercado games independentes e disputar consumidores com grandes marcas. Tal movimento possibilitou mais inovações na área, já que as produções autônomas trouxeram mais cuidado com a experiência do usuário, para além do foco no lucro.

 

Interessou-se pela possibilidade? Veja agora três formas de ingressar no mercado de games e começar a faturar.

 

3 formas de faturar com o mercado gamer

Assim como em qualquer oportunidade de negócio, o investimento no mercado de games não tem um retorno garantido. Mas há sim grandes chances de sucesso por conta da alta no mercado e da popularização dos jogos eletrônicos durante a pandemia.

 

Vale ressaltar que quem deseja empreender no setor deve se preparar para compreender o universo gamer, bem como aprender a desempenhar atividades de diversas áreas de conhecimento. Afinal, esses são elementos essenciais à jornada empreendedora: compreender o comportamento do consumidor e ser multitarefa.

 

Para quem deseja investir em conhecimento, instituições de ensino superior no Brasil já oferecem graduação em Design de Jogos em dois formatos: bacharelado, em um curso com duração de 4 anos; e tecnólogo, com duração de 2 anos. Ambos formam profissionais capacitados para o desenvolvimento dos games, da roteirização à programação.

 

Dito isso, vamos apresentar as 3 principais formas de faturar com o mercado gamer.

 

1 Financiamento coletivo

Nem sempre as pessoas estão dispostas a desembolsar um valor para ter acesso a um game. Mas a comunidade gamer, que enxerga no setor um caminho para a diversão e para a conexão com um público semelhante, pode estar interessada em apoiar o surgimento de novos jogos eletrônicos.

 

Então, uma das alternativas com o intuito de atrair capital e financiar o desenvolvimento do game é o financiamento coletivo, quando a colaboração da comunidade é fundamental.

 

2 Venda de conteúdo adicional

Você pode oferecer um jogo eletrônico gratuitamente aos usuários e cobrar por conteúdos adicionais, que incrementam a experiência online. Então, não necessariamente o jogador vai precisar desembolsar um valor para ter acesso ao game, mas, sem dúvidas, vai ficar tentado a investir a fim de ter uma jornada completa de diversão.

 

Outra ideia é a venda da trilha sonora, de artes exclusivas relacionadas à interface e aos personagens do jogo. Quem gosta do game geralmente está disposto a comprar itens que remetem ao cenário virtual.

 

3 Criação de moeda digital

Criar microtransações monetizadas dentro dos jogos eletrônicos é uma das formas de faturar com recorrência. No Candycrush, um dos games mais famosos no mundo, as pessoas podem comprar combos de facilidades por determinados valores em moedas reais.

 

Então, em vez de receber uma vez pela compra do game, o desenvolvedor recebe a cada transação que o usuário faz para ter benefícios ao longo do jogo.

 

O mercado de games no Brasil está se mostrando promissor. Enquanto os especialistas afirmam que a área ainda não atingiu seu potencial máximo, os consumidores ávidos por entretenimento virtual não deixam de valorizar experiências cada vez mais ricas e completas.

 

Pronto! Agora que você conhece o potencial do mercado gamer e encontrou maneiras de ingressar na área, que tal aprender outras habilidades empreendedoras? Conheça agora nosso Guia de Marketing Digital e veja como construir uma estratégia de divulgação eficiente para o seu produto.