Tendências para pequenos e médios empreendedores (PMEs) no pós-pandemia

Compartilhe este conteúdo:

Quando olhamos para o mercado, vemos impactos fortes e mudanças significativas na Jornada de Compra e no comportamento do consumidor, marcadas pelas intensas transformações digitais que ora vivemos. 

Em um cenário pós-pandemia, esse movimento tende a se intensificar, e é importante que pequenos e micro empreendedores estejam prontos para essas mudanças. Como fazer isso, porém? No artigo de hoje, vamos falar sobre tendências para PMEs e de que modo é possível alavancar seu negócio a partir delas. 

O fim do desperdício

Existem várias tecnologias em movimento e que vão trazer impactos fortes à sociedade em geral. Estamos falando do 5G, do blockchain, dos processadores quânticos, dentre outros projetos. 

Mas o ponto não é entender o que são essas tecnologias, mas compreender a quais demandas elas atendem e como elas mudam as regras do jogo. E um ponto-chave por trás dessas transformações é o desperdício. 

O desperdício de tempo, recursos, alimentos e de dinheiro diz respeito a uma “piscina” de oportunidades para o empreendedor que conseguir solucioná-las e reduzi-las ao máximo. 

Para termos uma ideia, 95% das promoções feitas em e-commerces e em negócios presenciais para queima de estoque são feitas manualmente. Isso nos faz pensar no número elevado de produtos desperdiçados em razão da data de validade, de erro de armazenamento, dentre outros problemas que poderiam ser resolvidos com tecnologia. 

Conversational commerce

A velocidade de troca de informação em aplicativos de mensagem nos leva a refletir que outras oportunidades são possíveis dentro dessa mesma lógica. Um destaque é a conversão e a troca de moedas em aplicativos transacionais, acompanhando a formação de negócios entre fronteiras globais. 

Tecnologias como o Pix mudaram muito as transações financeiras, e novas tecnologias estão inclinadas a proporcionar efeitos semelhantes. 

Essas facilidades inicialmente parecem aumentar a competição entre empresas, e isso é exatamente o que vai acelerar o processo de parcerias. Isso porque os empreendimentos ganham mais com a união de forças do que brigando entre si pela atenção do cliente. 

O conceito do “tudo de casa”

Do inglês “everything from home”, o conceito do “tudo de casa” parte do pressuposto de que as pessoas são capazes de fazer tudo sem sair da sua residência, o que gera uma oportunidade enorme de negócios. 

Tecnologias como a internet 5G abrem várias possibilidades ao acompanhar esse conceito, com o potencial de criar e alavancar vários modelos de negócio de forma exponencial. 

Combinando isso a processadores extremamente velozes, os dispositivos do futuro tendem a ter acesso a uma velocidade incrível e a um armazenamento ilimitado, considerando a tecnologia das nuvens que estão sendo desenvolvidas. Ou seja, temos o fim da distância de comunicação e o acesso para qualquer relação comercial

 

O poder do Iot

Com o fim dos gargalos de tecnologia e comunicação como conhecemos hoje, abre-se também espaço para que as máquinas se comuniquem. A lavadora de roupas avisa quando o amaciante acaba, e a geladeira conecta o supermercado quando determinado alimento chega ao fim. A tendência é que isso transforme um sistema de subscrição, eliminando o desperdício.

Isso também estende para fora de casa, como, por exemplo, o conceito de “cidades inteligentes”. Com essa tecnologia, há melhor comunicação entre os elementos da cidade, eliminando desperdícios energéticos, facilitando as relações comerciais e as atividades da comunidade em geral. 

 

Novos modelos de negócio da era digital

Novo flow do varejo

O novo flow do varejo é extremamente relevante para a era digital. Não é preciso mais comprar, estocar e vender. A produção e a venda por demanda são uma tendência forte e tendem a ser destaque no futuro. 

Games como parte do negócio

Entender quais os jogos que o seu cliente está jogando é importante e pode abrir espaço para transações comerciais. É possível, assim como no modelo antigo de anúncios no cinema, anunciar seu produto nas plataformas de games nos quais os seus clientes estejam presentes e tornar seu produto relevante ao seu consumidor. 

Lifestream commerce

Um modelo que tem feito muito sucesso na China e que está chegando ao Brasil é o lifestream commerce, que busca oferecer produtos e fazer vendas ao vivo. Em parceria com influencers monetizados por vendas, as empresas passam a oferecer promoções em tempo real aos consumidores através das redes sociais, construindo um novo canal de comunicação com o cliente. 

Darkstores

Assim como as darkitchens, isto é, restaurantes que não têm um espaço físico e que fazem apenas delivery, existem as darkstores, ou seja, lojas feitas em andares com estoques e estúdios e que vendem apenas online. Aqui, o espaço físico serve como um showroom, utilizado para fazer lives e divulgar o produto online. 

Produtos usados

O mercado de usados é imenso e ainda muito inexplorado. Ele traz soluções sustentáveis, baratas para o consumidor e de baixo custo para as empresas e certamente abrirá muitas oportunidades para empreendedores no futuro. 

 

Empreendedores amigos do futuro

É importante ressaltar que tais tecnologias tendem a trazer mudanças irreversíveis. Isso quer dizer que, mesmo com o fim da pandemia, as coisas não vão ser como eram antes. Por isso, torna-se essencial abraçar a transformação e ser um “amigo do futuro”, para que seja possível aproveitar o melhor que a tecnologia traz e alavancar o seu negócio a partir delas. 

E, então, o que achou das tendências para PMEs? Descubra também como funciona o mercado de resale e continue aprendendo mais do assunto!