Espera-se que a população urbana mundial ultrapasse seis bilhões até 2045. Muito desse crescimento vai acontecer em países em desenvolvimento, especialmente da África. Como resultado, será preciso vencer desafios com relação a infraestrutura, transporte, energia, emprego, etc.

cidades inteligentes

Dessa forma, a pauta do desenvolvimento urbano sustentável se torna cada vez mais central e guia tendências mundiais de projetos para cidades. Neste artigo, vamos analisar algumas dessas tendências e entender por que devemos nos preocupar com o futuro das cidades.

 

Por que nos preocupamos com tendências em cidades

Alguns motivos principais regem a preocupação de todas as nações com o futuro das cidades. Muitos estão relacionados à sustentabilidade: urbanização intensa pode levar a poluição do ar, alto volume de resíduos sólidos, mais probabilidade de enchentes, etc. Além disso, há a possibilidade de problemas com abastecimento e desemprego.

Para solucionar essas questões, é preciso:

 

  • Desenvolver economicamente as cidades para combater a pobreza e o desemprego.
  • Envolver comunidades locais nas questões governamentais.
  • Utilizar meios de transporte limpos e eficientes.
  • Criar parcerias para destinar os resíduos sólidos.
  • Aumentar a metragem de áreas verdes no planejamento urbano.

 

O futuro das cidades depende desses fatores. Mas como alcançar metas considerando a realidade individual dos centros urbanos? A seguir, listamos as principais tendências para o desenvolvimento das cidades. A fonte dos estudos é a revista National Geographic.

 

Tendências mundiais para o futuro das cidades

 

Construção das cidades para pessoas

Uma das principais formas de desenvolvimento sustentável envolve a diminuição da dependência de combustível. O planejamento urbano passa a priorizar os pedestres. No entanto, isso não quer dizer que os carros não tenham vez: eles também são acomodados nas cidades do futuro, mas as pessoas vêm primeiro.

Isso significa centros urbanos com quarteirões fechados, mais praças, parques, espaço para bicicletas, iluminação satisfatória, entre outras características. Em Boston, por exemplo, existe o projeto Slow Streets (Ruas Lentas), que define a velocidade máxima de 20 milhas por hora (aproximadamente 32 km/h) em bairros.

Já falamos por aqui sobre cidades para pedestres. Não deixe de conferir.

 

Favorecimento da saúde e do bem-estar

Você sabia que 90% do nosso tempo é gasto em interiores? Por isso, o design de prédios, escolas, locais de trabalho e até de hospitais precisa ser bem pensado. Isso significa mais ventilação e iluminação natural, o que é comprovadamente benéfico para a saúde.

Saiba como Freiburg, na Alemanha, tem seguido essa tendência.

 

Investimento em áreas verdes

O planejamento urbano passa a trazer as áreas verdes cada vez mais para as cidades. Isso não só em parques, mas em canteiros, avenidas, calçadas. Mais contato com a natureza traz alívio para as pessoas e as torna mais felizes. Por isso, o futuro das cidades está tão ligado a ela.

Isso envolve não apenas o planejamento, mas projetos de plantio de árvores e outras iniciativas para trazer a natureza para o espaço urbano. Existem também programas de consultoria para plantio em casa, o que mostra que a preocupação vai além do espaço público.

Conheça o design de parques públicos e o que pode fazer pelas cidades.

 

Preparação para a mudança climática

Os planos para o futuro das cidades começam a envolver a mudança climática cada vez mais. Espaços urbanos criam formas de se proteger contra enchentes, subida dos mares (já subiram 27 cm) e tempestades frequentes.

Dentre as ações, vemos o aumento de tetos verdes, a coleta de água da chuva, a criação de pequenos centros de geração de energia e água pela cidade e a identificação de centros de resfriamento, para onde os residentes podem ir em dias “perigosamente quentes”.

Essas ações não só previnem grandes prejuízos causados pelas mudanças como também trazem benefícios ao orçamento das cidades e diminuem o impacto da crescente população urbana. O índice NPV+ é uma das formas de mensurar esses benefícios.

 

Pronto para seguir as tendências?

E aí, o que acha de começar a incentivar as tendências na sua cidade? Ao nos preocuparmos com as questões que atingem nossas regiões, construímos um futuro brilhante. Quando todos participam, os problemas da urbanização tendem a ser resolvidos! Quer saber mais? Confira outro de nossos conteúdos:

NÍVEL DE FELICIDADE NAS CIDADES: IDEIAS E SOLUÇÕES

 

Leia mais sobre Empreendedorismo


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.