Marketing Digital

SEO On-Page 4.0: da intenção à conversão com Felipe Bazon - CSO da HEDGEHOG

SEO|

Ter visibilidade no Google é o objetivo de toda empresa. Mas hoje não basta inserir palavras-chave em um texto e esperar que a primeira página seja alcançada. Estamos em uma nova fase do SEO, denominada “SEO 4.0”.Quem cunhou o termo foi Felipe Bazon, CSO (Chief SEO Officer) e cofundador da Hedgehog, que atua há mais de 13 anos focada em SEO. Nesta oportunidade, ele dividiu com o Inovação Sebrae Minas um pouco do que tem visto nos últimos anos em termos de mudança no comportamento do consumidor.Boa leitura!

Você cunhou esse termo “SEO On-Page 4.0”. O que você diria que é o SEO 4.0? O que veio antes?

É uma analogia com este momento da Indústria 4.0. É para mostrar que o SEO está evoluindo e que tem de acompanhar as tendências. Foi-se o tempo em que bastava colocar palavras-chave em um texto, apontar um link ou outro a fim de conquistar um bom posicionamento. O SEO 4.0 é para ressaltar que hoje a gente deve considerar a experiência do usuário e entender a intenção de busca. Ele é voltado para o consumidor ou usuário. Porque são as pessoas que fazem as buscas. A gente tem de parar de pensar tanto no robô do Google, e sim no nosso consumidor, em como ele está fazendo a busca, que intenção ele tem por trás disso. A ideia do SEO 4.0 é mostrar essa evolução, ou seja, deixe de ficar pensando no que o Google quer e comece a pensar no que o consumidor está querendo.O conceito do SEO 4.0 é isto: construirmos uma estratégia onde colocamos o usuário no centro.

Vimos uma mudança na jornada de compra nos últimos anos. O que mudou no comportamento do consumidor para que isso acontecesse?

Estamos em uma constante evolução na forma como compramos. A primeira evolução foi a mudança do offline para o online, quando começamos a comprar pela internet. E aí vieram as novas tecnologias, como o smartphone, e começamos a ganhar mais confiança nelas.O que mudou foram os pontos de contato, ou seja, o modo como o consumidor, hoje, interage e é impactado pelas marcas. Quer dizer, hoje você pode fazer uma busca no seu computador, na sua televisão, no Alexa, no celular… O que se altera na jornada de compra são os pontos de contato; gosto sempre de ressaltar isso. A história de topo, meio e fundo de funil é muito linear. O mundo hoje é muito mais dinâmico. Você está escutando rádio no seu carro, ouve um anúncio, pega o telefone e faz uma pesquisa, por exemplo. Foi isso que evoluiu.O consumidor também está muito mais exigente na compra. Ele vai buscar mais informações, sabe que há mais dados disponíveis para ajudá-lo na tomada de decisão. Vimos nos últimos tempos a evolução do SEO, associada à mudança de comportamento do consumidor.O cara que vai comprar um tênis de corrida não quer apenas um tênis de corrida, ele deseja saber qual é o melhor, para que tipo de corrida, etc. Isso também tem a ver com o funil. Que horas a pessoa realmente compra? Por isso falamos em nova jornada, que ocorre em momentos inesperados.

As redes estão sendo mais utilizadas para a pesquisa, com usuários fazendo a busca pelo TikTok, Instagram e YouTube para encontrar os produtos que desejam. O que podemos fazer quanto a isso do ponto de vista do SEO 4.0?

Sem dúvidas. Se partirmos do próprio conceito do SEO, que quer dizer “Search Engine Optimization” (Otimização do Mecanismo de Busca), não é só Google. O TikTok tem sistema de busca, o Twitter tem, a Amazon também tem. Tudo que existe em um sistema de busca dá para utilizar, pois há um sistema de classificação dos resultados, como no Google.Mas temos que entender primeiro onde o nosso consumidor está. Falamos sim muito sobre pesquisa no TikTok, mas será que o seu consumidor está lá pesquisando? As pesquisas no TikTok não têm um potencial tão transacional, como já notamos na Amazon, por exemplo. Existem até agências de SEO especializadas em SEO para Amazon, porque dá trabalho rankear os produtos da sua loja e ganhar visibilidade dentro do algoritmo da plataforma. Consequentemente, é fundamental entender onde está o seu consumidor.Hoje, no Brasil, acho que é muito cedo para falarmos nisso. Muitas vezes vemos notícias sobre as mudanças no comportamento do consumidor e ficamos desesperados sem saber onde focar. O brasileiro ainda não está fazendo esse tipo de pesquisa. Por isso é tão importante entender o seu público-alvo e se ele tem mudado o comportamento nesse quesito.Importante: A Hedgehog lançou uma pesquisa sobre o State of Search Brasil, com dados focados no público brasileiro e em como ele faz pesquisas. Acesse aqui para baixar.A Hedgehog lançou uma pesquisa sobre o State of Search Brasil, com dados focados no público brasileiro e em como ele faz pesquisas. Acesse aqui para baixar.

Se você pudesse dar uma dica específica para pequenas e médias empresas que ainda não têm tanto orçamento disponível para investir em SEO, qual seria?

Micro, pequenas e médias empresas precisam começar focando no SEO local, especialmente utilizando o Google Meu Negócio. Esse é o caminho mais rápido para você chegar no topo dos resultados de pesquisas do Google para buscas locais.Muitas vezes essas empresas começam com uma atuação local, na cidade, no bairro, na região. Para você rankear e começar a impactar pessoas que estão procurando seu produto próximo de você, o Google Meu Negócio é a melhor ferramenta. Você não precisa nem de um site.Crie seu perfil e tenha a empresa com o endereço configurado. Você pode colocar listagem de produtos, cardápio do restaurante, e também utilizar o Google Post, isto é,uma ferramenta do Google Meu Negócio para criar anúncios gratuitos na própria página do Google. Se você quer começar a ter visibilidade, é a principal dica.Saiba aqui como utilizar o Google Meu Negócio e outras ferramentas gratuitas do Google.