Black Friday em 2020: mais marcas, menos negócios – Entrevista com Alfredo Soares, da Vtex

Compartilhe este conteúdo:

Considerada uma das datas mais importantes para o varejo, a Black Friday movimenta bilhões em apenas um mês no Brasil – mais intensamente na última sexta-feira de novembro. Em 2019, foram R$ 5,96 bilhões, isto é, alta de 35,5% em relação ao ano anterior, segundo Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce. Mesmo com o aumento nas vendas nos últimos anos, 2020 promete campanhas de Black Friday ainda mais intensas: com a pandemia, muitas empresas que ainda não vendiam on-line se estruturaram para tal, e diversas outras que tinham operações eletrônicas intensificaram ou otimizaram o marketing digital, a venda, a logística e o pós-venda. 

Mas o momento exige também alguns cuidados especiais. Para falar sobre a particularidade da Black Friday em um ano tão atípico, convidamos o vice-presidente da Vtex, Alfredo Soares. Confira a entrevista a seguir. 

1. Como as pequenas empresas podem se preparar e criar uma boa campanha de Black Friday em 2020? 

A Black Friday em 2020 será uma guerra por mídia e um jogo de estoque. Não acredito em promoção generalizada. Os pequenos precisam se preparar para ter giro de estoque e atender à demanda pós-Black Friday. 

A reposição da indústria não está fácil; a matéria-prima está em falta e a logística, congestionada. Teremos 10 milhões de pessoas comprando on-line, pela primeira vez, na Black Friday.

 

2. Quais são os maiores erros que os pequenos empreendedores cometem ao realizar campanhas grandes, como as de Black Friday? Onde estão os principais gargalos? 

Acho que o segredo está na preparação e na construção de audiência até lá, ou seja, a seleção dos produtos que vão fazer parte e a comunicação por grupos. Acredito que será uma Black Friday em que ter acesso à oferta será uma grande vitória, em alguns casos. Um erro clássico é tentar enganar o cliente com preços que aumentam e ganham desconto. 

O cliente nunca teve tanto empoderamento e tecnologia na sua mão! Existem sites só procurando isso. Não queime sua marca por causa de uma ‘Black Fraude’.

 

3. Quais são algumas dicas para quem se digitalizou este ano e vai realizar sua primeira campanha de Black Friday por e-commerce?

Crie grupos de clientes, faça uma categoria exclusiva, comunique-se claramente. Não passe o mês todo em Black Friday com promoções na loja toda. Cuidado com promoções de frete grátis. Reajuste seu tempo de entrega, revise termos e condições, tire o boleto do ar na semana e sempre tenha dois meios de pagamento. 

Acho fundamental preparar os canais de comunicação com o usuário buscando focar naquele que vai permitir atendimento rápido. Vale ter sempre mais de um meio de pagamento e deixar instalados aqueles que têm carteira virtual. Black Friday não é sair dando desconto; é criação de audiência, negociação com a indústria e time certo.

 

4. Quais são os aprendizados de grandes campanhas em relação a Marketing, Logística, Pós-Venda, Relacionamento que podem ser aplicados no restante do ano a fim de aumentar ainda mais as vendas dos pequenos e médios empreendedores?

Acho que a grande lição é que os clientes amam uma promoção, e promoção não significa preço mais baixo, mas sim uma oferta sedutora. Então, é possível criar esses estímulos mais vezes por ano. A outra lição é que a concentração de mídia em um período pode gerar alcance maior, e isso se reflete no resultado. Lembre-se: quem te conhece na Black Friday pode comprar o ano todo no seu negócio. Não coloque os carros na frente dos bois para não perder todas essas oportunidades por causa de um só dia. 

 

5. Quais são algumas tendências em relação ao varejo em 2021?

O varejo em 2021 segue sua aceleração digital e vamos ver a busca por profissionais qualificados como uma grande corrida do ouro. O varejo agora respeita a tecnologia e a internet. Antes vista como ameaça e um mundo novo, a internet agora é obrigatória e aliada. Será interessante a forma de comunicação do varejo com os consumidores. Que venha a ‘era do conteúdo no varejo’. 

Feche seu negócio e abra sua marca agora mesmo! O consumidor não quer mais se relacionar com negócios e, sim, com marcas e comunidades.

 

Gostou da entrevista com Alfredo? Para outras dicas de como aumentar suas vendas por e-commerce, dentro ou fora da Black Friday, confira também este post.