Investimento em startups: como atrair recursos para o seu negócio – Entrevista com Auxiliadora Umbelino

Compartilhe este conteúdo:

Da ideia ainda no papel ao sucesso do negócio, a caminhada é longa. Para alcançar as metas e concluir os projetos, além de foco, visão de mercado e expertise, é preciso ter capital. Mas sabemos: nem sempre os recursos próprios são suficientes para viabilizar tais ideias ou negócios inovadores. 

 

Por isso, existem alguns meios de captar investimentos. Quem tem um negócio com potencial de escalabilidade e de alto impacto, independentemente do tamanho e da maturidade no mercado, pode recorrer ao Capital Empreendedor. Uma espécie de financiamento no qual um investidor aporta dinheiro na empresa em troca de participação societária.

 

Buscando aprofundar mais no assunto e explicar como funcionam os investimentos em startups, entrevistamos a Auxiliadora Umbelino, economista e coordenadora do projeto Capital Empreendedor do Sebrae. O projeto visa ajudar empreendedores a entender o ecossistema de investimentos de risco e a se preparar para atrair e negociar novos aportes para seus negócios.

 

1. O que é o Capital Empreendedor? E quais negócios devem recorrer a esse recurso?

 

Também conhecido como “capital ou investimento de risco”, é uma das formas de captar recursos para realizar os planos e os projetos de longo prazo de um negócio. Nessa forma de financiamento, um investidor– chamado de “investidor de risco” – aporta recursos no negócio em troca de participação societária, geralmente minoritária, de uma empresa de capital fechado. Esse aporte pode ocorrer em diversos momentos de um projeto.

Podem recorrer a essa modalidade de investimentos, negócios inovadores, com potencial de escalabilidade acelerada, desde aqueles que estão começando até os mais maduros, que já têm grande operação, mas precisam de recursos para continuar crescendo.

 

2. Qual o melhor momento para uma empresa buscar a captação de recursos no mercado?

Investimentos de Capital Empreendedor podem ser feitos em diferentes estágios do desenvolvimento de uma empresa: das que são apenas uma ideia até negócios  consolidados que buscam expandir sua atuação. É importante que o empreendedor entenda o estágio de maturidade em que o empreendimento se encontra a fim de lançar mão do modelo de investimento que mais agregará valor ao negócio.

Empresas que ainda estão na fase de desenvolvimento de produtos e de validação do modelo de negócio – geralmente ainda com pouca ou nenhuma receita, que precisam de recursos para finalizar o desenvolvimento de produto, financiar a equipe de fundadores, conquistar os primeiros clientes e custear a entrada no mercado – podem buscar investidores-anjo (pessoas físicas, geralmente empresários ou executivos de empresas consolidadas), aceleradoras, isto é, empresas de capital empreendedor que investem em diversos negócios de estágio muito inicial ou plataformas de crowdfunding de investimento, que congregam muitos investidores para investirem on-line.

Negócios que estão validando o seu modelo de crescimento, ou seja, negócios que se encontram em operação, têm receita recorrente, mas enfrentam dificuldade para crescer e ainda não definiram uma estratégia clara para atingir escala podem buscar grupos de investidores-anjo, plataformas de crowdfunding de investimento ou fundos de investimento de Capital Semente. Os recursos são utilizados para a expansão da base de clientes, o aumento da equipe de desenvolvimento do produto ou serviço, o aumento da equipe de vendas e a abertura de canais de venda e distribuição.

Empresas que estão na etapa de consolidação, que já têm um modelo de negócio validado, receita recorrente e precisam alocar recursos na expansão do negócio também estão aptas a buscar Fundos de Investimento de Venture Capital. Os recursos investidos nesta etapa são utilizados para expansão geográfica ou expansão da linha de produtos, abertura de novos mercados e aquisição de empresas concorrentes.

 

3. Como as empresas devem se preparar para atrair investimentos? Existem boas práticas que visam aumentar as chances de conseguir os recursos necessários para o desenvolvimento do negócio?

 

algumas práticas essenciais que antecedem a captação de recursos no mercado. Veja:

  •         Manter informações financeiras atualizadas. Demonstrar o potencial de geração de lucros e comprovar a idoneidade das informações.
  •         Ter um Plano de Negócios e um projeto bem estruturados. Mostrar tudo o que a empresa pretende fazer para alcançar seus objetivos. É importante comprovar que o empreendedor conhece os desafios do caminho, como os concorrentes.
  •         Ter os dados bem claros e o empreendedor deve estar preparado para responder a qualquer dúvida dos investidores. Essa é a única forma de demonstrar que a startup é lucrativa — ou tem potencial de ser — e que o mercado-alvo tem demanda para o produto ou serviço ofertado.
  •         Transmitir uma imagem de segurança. O empreendedor deve passar confiabilidade e mostrar que conhece a startup totalmente. O foco é estar preparado para responder às dúvidas e facilitar o entendimento do potencial investidor.
  •         Ter um Plano de Negócios abrangente e eficiente. Esse documento é um guia. Portanto, quanto mais completo for, mais traz precisão e segurança ao investidor.
  •         Estar preparado para apresentar as ideias de forma consistente. O empreendedor deve conhecer bem o negócio e o projeto a ser realizado para fazer boa explanação e aumentar a chance de fechar negócio com o investidor.
  •         Investir em um relacionamento próximo com os investidores. Como serão sócios, eles devem ser inseridos no processo e também participar do processo decisório. Essa é uma forma de ter um crescimento mais rápido graças à experiência de mercado.

 

4. Quais são os maiores erros que um empreendedor pode cometer ao iniciar um negócio inovador ou uma startup? O que deve ser evitado?

 

  • Atuar em nichos muito restritos. Atuar apenas em um único nicho restrito pode fazer com que o faturamento também seja restrito. É importante estudar bem as várias alternativas de mercado para o produto.

 

  • Ter apenas um único fundador 

Lidar com todos os desafios de um empreendimento é uma tarefa árdua. Assim, enfrentar os desafios da gestão, da parte técnica e ainda se preocupar com a captação de clientes é muito trabalho para uma única pessoa. Dessa maneira, é recomendável ter um sócio para a gestão, outro para cuidar dos aspectos técnicos e outro para ficar à frente, na busca de parceiros.

 

  • Aversão a novos cenários

Startups devem buscar Inovação de forma constante.

 

  • Demora no lançamento do produto ou serviço no mercado

Perda do timing do negócio.

 

  • Lançamento cedo demai

Por outro lado, o  lançamento prematuro, sem a infraestrutura suficiente para lidar com o crescimento inesperado, também é um erro comum.

 

  • Escolha errada do sócio.

 

5. Que cuidados uma startup deve ter na etapa de captação de recursos, a fim de evitar problemas futuros ao buscar um investidor?

  •         Refletir para entender que tipo de recurso é mais adequado ao momento do negócio. Assim é necessário avaliar o estágio em que a empresa se encontra para saber qual a fonte financeira ideal.
  •         Identificar a real necessidade do recurso e o destino desse recurso dentro do empreendimento.
  •         Avaliar o que o potencial investidor pode agregar ao negócio além do recurso financeiro: experiência de mercado, networking, conhecimento, etc.
  •         Conversar com empreendedores que receberam investimento daquele investidor ou fundo que são interessantes para o empreendimento
  •         Buscar informações mais aprofundadas sobre os investidores que sejam interessantes para a startup
  •         Assessoria jurídica especializada

 

6. Como está o mercado de startups no Brasil? É um bom momento para investir em uma ideia inovadora?

As informações revelam um mercado promissor e aquecido para essa modalidade de negócios. O Brasil tem 16 unicórnios (startups com valuation acima de USD 1B), e esse número vem crescendo rapidamente. Os investimentos em Venture Capital na América Latina quadruplicaram desde 2016. O Brasil lidera os deals na América LatinaA velocidade de zero a unicórnio está mais rápida do que nuncaNo período de 2016 – 2020, o ecossistema brasileiro saiu de 26 para 174 transações por ano. Portanto, sim, sem dúvida, é um bom momento para investir em ideias inovadoras, de alto impacto, com potencial de escalabilidade.

7. O programa Capital Empreendedor visa ajudar e potencializar o mercado de startups no Brasil ao preparar empreendedores para a captação de recursos. O que esperar do evento?

  •         O lançamento tem por objetivo apresentar o programa e sua dinâmica de preparação de startups ao longo do Ciclo 2021. Um painel com investidores apresentará o cenário de investimentos para negócios iniciais no Brasil em 2021. No evento, haverá a abertura das inscrições para o  Capital Empreendedor em 2021

 

8. Se você pudesse dar uma orientação essencial para quem está começando um negócio inovador ou uma startup, qual seria?

Estude de forma profunda o mercado onde estará inserido o negócio – qual a dor, o tamanho, os concorrentes, as barreiras à entrada. Isso, sem dúvida, lhe dará subsídios para tomar decisões assertivas voltadas ao crescimento da empresa.

Com as mudanças no comportamento do consumidor, as soluções disruptivas e inovadoras aparecem no mercado como novas respostas eficazes, a fim de solucionar as dores, as necessidades e os problemas atuais. Por isso, o potencial de crescimento e impacto é alto.

 

Então, se o seu negócio gera alto valor para as pessoas e se encaixa nesse perfil, não deixe de conhecer o programa Capital Empreendedor. Uma iniciativa do Sebrae criada com vistas a ajudar e a preparar empresas inovadoras para a aproximação e a negociação com investidores. Faça agora a sua inscrição!