Você já ouviu falar de scrum e metodologia ágil? Ainda não? É hora de se atualizar, então, sobre essas tendências importantes de mercado. Os dois termos representam, em sua essência, modos dinâmicos de conduzir projetos e que podem ser interessantes para o seu negócio.

 

scrum e metodologia ágil

 

Mas não se preocupe. Se scrum e metodologia ágil são novidades para você, preparamos um material informativo e objetivo, que explica o que significam essas tendências e como elas podem se aplicar para potencializar os seus projetos. Olha só!

 

Descobrindo a metodologia ágil

Você já sentiu a necessidade de ver resultados mais palpáveis durante a execução de algum projeto? Percebeu que alterar algum detalhe antes do resultado final teria ocasionado mudanças positivas na hora da sua aplicação?

A metodologia ágil envolve basicamente esse princípio. Em linhas gerais, ela nada mais é do que uma forma de acelerar as entregas ao longo do desenvolvimento do seu plano, apresentando resultados periódicos. Nesse tipo de metodologia, o todo é fracionado em entregas incrementais, e metas são estabelecidas a cada fase proposta.

Por muitos anos, usava-se somente um método mais antigo e tradicional, que chamamos de modelo cascata. Nele, todas as entregas do projeto são feitas apenas uma vez, no final. Com o avanço da sociedade, o aumento da complexidade do mercado e a relação mais urgente com o tempo, muitos passaram a considerar esse método rígido, engessado e trabalhoso.

Foi então que os métodos ágeis começaram a dividir o espaço no ambiente corporativo. Eles deixam tudo muito mais flexível, já que as definições do que será entregue a cada parte podem ser alteradas e melhoradas em um processo fragmentado e contínuo de evolução e apresentação de resultados.

A metodologia ágil foi criada inicialmente para o desenvolvimento de softwares. A história conta que um grupo de profissionais dessa área decidiu se reunir em uma estação de esqui, nos EUA, para definir novas maneiras de melhorar o desempenho de seus projetos. Daí surgiram as diretrizes do pensamento. Mas não demorou muito para outras áreas começarem a perceber a possibilidade de aplicação e sucesso dos projetos ao adotar esse tipo de expediente. Mas por quê?

Ora, é notório perceber que atualmente não há mais tanto tempo para aguardar a conclusão de um projeto inteiro. Empresas pequenas, médias e grandes querem otimizar tempo, recurso e resultados. Dessa forma, o modelo ágil se encaixou como uma luva: ele é capaz de gerar retornos por partes e não só pelo todo, possibilitando a aceitação ou não do cliente, feedbacks positivos e negativos e adequações para as próximas entregas. Isso resulta em um produto final muito mais elaborado e com chances de dar certo.

No entanto é muito importante ficar atento a uma questão: ser ágil não significa necessariamente entregar o projeto final em um prazo menor. Ser ágil significa, na verdade, entregar valores referentes ao projeto de maneira mais rápida para o seu cliente, já que cada entrega passa a ser parcial e mais curta. É comum inclusive que o tempo total de todas as entregas seja o mesmo do tempo utilizado no método cascata. Mas há uma diferença fundamental: a qualidade e a validação do produto certamente estarão muito maiores e mais perto do ideal.

 

Afinal, o que é scrum?

Agora que você já viu o que significa metodologia ágil, já pode entrar em uma das suas “subdivisões”: o scrum. Ele nada mais é do que um tipo de metodologia ágil criada para gestão e planejamento mais dinâmica de projetos, sobretudo de softwares.

O scrum não é nem de perto um processo padronizado, linear, no qual você segue uma série de etapas sequenciais e de maneira sistemática, que vão garantir que você produza resultados de qualidade para seus clientes. Pelo contrário. Com entregas parciais e contínuas, ele se utiliza de períodos curtos e muito bem definidos para apresentar resultados que, aprimorados ao longo do processo, irão, lá na frente, se tornar um produto final elaborado. Basicamente o princípio mais amplo de metodologia ágil que vimos antes, não é mesmo? E não foge muito disso.

Nesse framework, os papéis e as responsabilidades são muito bem definidos. Cada projeto é dividido em pequenos ciclos chamados de sprints. Esses sprints variam de duração e representam uma espécie de caixa do tempo na qual uma série de atividades deve ser realizada dentro do prazo. O scrum se baseia basicamente em três pilares: transparência, inspeção e adaptação. Os três juntos formam um ciclo que gera resultados e inovação para o projeto.

Mas você sabe por que se utiliza a palavra “scrum”? Simples. Scrum é uma típica jogada de rugby, na qual oito jogadores de cada time se agrupam formando uma espécie de muralha ou “paredão” bem construído para alcançar um objetivo. E isso tem tudo a ver com esse tipo de metodologia: papéis bem definidos e todos muito bem alinhados e juntos para produzir resultados e chegar ao sucesso seja ao final de cada sprint, seja ao final do projeto.

Por fim, precisamos entender quem são os agentes principais no scrum. Confira:

 

  • Scrum master: é uma espécie de gerente de projeto ou, no mínimo, divide as responsabilidades com ele. É a peça detentora da metodologia, encarregada de garantir a sua aplicação, facilitando os processos para a equipe e garantindo que cada sprint funcione da maneira correta.
  • Product owner: é o CEO do projeto. Ele vai representar os agentes envolvidos direta e indiretamente no processo. Em resumo, é quem conhece bem o negócio e quem vai fazer a ponte direta com o cliente, ou até, em alguns casos, ser o próprio cliente.
  • Team: representa a equipe de desenvolvimento do produto ou do serviço em questão. Via de regra, é um grupo diversificado e multidisciplinar.

 

Adote o scrum na sua empresa

Adotar a metodologia ágil do tipo scrum hoje em dia garante que você acelere os resultados dos seus processos e tenha produtos finais muito mais sólidos e validados. Mas, para tanto, é fundamental investir em capacitação de pessoas que sejam capazes de aplicar esse modelo.

Ter profissionais com certificado scrum master na sua empresa, por exemplo, é altamente interessante no mercado atual. Esse tipo de profissional domina o uso correto da metodologia e é capaz de aplicá-la de maneira correta e eficiente, sem gaps ou falhas. Existem diversos cursos ofertados para aprender o scrum. Basta pesquisar e escolher o que achar mais interessante. Vale a pena, e o seu negócio merece!

Gostou de saber mais sobre esses procedimentos? Acesse também um de nossos conteúdos, o e-book Design Sprint.

 

Leia mais sobre Empreendedorismo


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.