Sua marca tem uma voz própria? Encontrar um tom que seja coerente com os valores e com o propósito da empresa ajuda a criar conexões profundas com a audiência e faz parte do branding.

Em resumo, o tom de voz é a alma da sua comunicação. Deve estar representado em todos os pontos de contato com o cliente, desde as redes sociais até o atendimento. Além disso, precisa estar conectado aos princípios e à personalidade da marca. A forma como você fala com seu cliente determina a forma como ele se relaciona e se identifica com o negócio.

A voz da sua marca pode ser autoritária, informativa, divertida e até mesmo piadista. Seja qual for o tom, é preciso ser autêntico. Sua audiência sabe quando algo parece falso. Por isso, é importante ser sempre genuíno. Neste artigo, entenda o que é tom de voz e como você pode definir o seu e utilizá-lo.

O que é tom de voz da marca

O tom de voz da marca é uma definição de uniformidade nas palavras, atitudes e valores de uma marca nos pontos de contato com o cliente. É pela voz que a marca expressa sua personalidade e seus valores. É como a empresa comunica seus valores, sua identidade e seu posicionamento no mercado.

Todas as estratégias de comunicação e marketing dependem disso, e é por meio dessa voz que todas as ações se mantêm uniformes e coesas. Ou seja, existe o mesmo tom de voz no site, nas redes sociais, em e-mails, embalagens, anúncios, etc.

Veja alguns exemplos:

Coca-Cola: a voz é relacionada a felicidade, alegria e boas experiências.

Disney: tem um vocabulário próprio, ligado a realização de sonhos, encantamento, diversão e brincadeira.

Nike: toda a comunicação da marca tem seu slogan (“Just Do It”) e tem um tom motivador e inspirador.

Tradução: O mundo não estava pronto, mas @__coleman estava. Em sua primeira corrida indoor profissional, Christian Coleman previu que quebraria um recorde de 20 anos. Aí ele o fez. #justdoit

Como a empresa é feita de pessoas, elas precisam estar alinhadas a esse tom de voz. Mas como fazer isso?

 

Como criar o tom de voz da marca

Construir uma boa linha de tom de voz pode levar tempo, por isso, é importante começar a defini-la assim que possível. Dessa forma, é mais fácil integrá-la à cultura organizacional a fim de que as pessoas a utilizem na hora de se comunicarem com clientes. Confira alguns passos:

Construa personas

A primeira coisa a fazer é entender com quem estamos falando, o que  pode ser feito por meio das técnicas de criação de personas. Saiba mais sobre isso aqui.

Relacione a persona à marca

Esta seleção de perguntas pode ajudar nessa fase:

  • O que as pessoas devem sentir ao se relacionarem com a marca?
  • O que devem pensar da sua empresa?
  • Como descrever a marca?
  • Quais marcas são uma inspiração para a sua?
  • De quais marcas não queremos nos aproximar?

Com essas respostas, você estará mais perto da definição de tom de voz. Para atender às necessidades de comunicação da marca, você deve ser mais autoritário? Compreensivo? Engraçado?

Crie um grupo de testes

Depois de definir o tom de voz, passe a testá-lo. Crie algumas frases e peças-chave que reflitam diretamente a voz definida. Junte pessoas que sejam uma representação do seu público-alvo e pergunte a elas quais foram as sensações despertadas com aquelas frases e imagens. Aquilo tem a ver com o que elas imaginam que sua empresa seja?

Utilize as impressões desse grupo para aprimorar ainda mais o tom de voz. Você está interessado em despertar aquelas emoções? Se não, como poderia alterar a mensagem de marca?

Monte um manual

Para que a notícia chegue a todas as pessoas e elas utilizem o tom de voz no seu dia a dia, crie um manual. Coloque nele tudo que possa refletir a personalidade da empresa. Palavras, frases, imagens – tudo vale para criar o conceito. Garanta que todos os pontos de contato sejam consistentes e coerentes com essa voz.

Além disso, crie um plano de implementação. Esteja aberto para tirar dúvidas caso elas surjam.

 

Dicas para o seu tom de voz

Quer mais dicas para definir seu tom de voz? Confira algumas boas ideias:

  • É para você, mas o público deve gostar: temos tendência a ir a favor de nosso próprio gosto ao definir questões relacionadas à marca. Evite isso. É preciso que as pessoas se identifiquem e, para isso, as mensagens devem ter tudo a ver com elas.
  • Não aja como um robô: além de ser autêntico e genuíno, seu tom de voz deve ser humano. É como se a marca tivesse se transformado em uma pessoa e, por isso, a comunicação deve ser natural.
  • Leve em conta os objetivos da empresa: é preciso, ainda, que o tom de voz tenha um papel no alcance dos objetivos da empresa. Você deseja, por exemplo, ter mais expressividade entre pessoas jovens? Então, fale em uma língua que elas entendam.

Como você viu, criar um tom de voz autêntico pode ser um trabalho minucioso, mas que vale a pena. Outro ponto que você pode estruturar é o propósito do negócio. Confira outro de nossos conteúdos dentro do tema:

PROPÓSITO: POR QUE TODA EMPRESA DEVE TER UM

Leia mais sobre Empreendedorismo


Quer receber mais
conteúdos como esses?

cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email:

Obrigado por cadastrar o seu e-mail. Seja bem-vindo à comunidade Inovação Sebrae Minas.