Acessibilidade Digital: seu site/negócio está preparado?

Compartilhe este conteúdo:

A internet se popularizou como uma tecnologia democrática e acessível. No entanto, uma pesquisa realizada em 2019 pelo Big Data Corp, em parceria com o Movimento Web Para Todos, apontou que cerca de 99% dos sites brasileiros possuem algum tipo de falha que impede a Acessibilidade Digital a pessoas com deficiência.

Os canais digitais têm um potencial enorme para alcançar novos consumidores e alavancar negócios. Mas ignorar a Acessibilidade Digital é excluir uma fatia expressiva do mercado. Afinal, aproximadamente 45 milhões de brasileiros sofrem de algum tipo de deficiência.

A seguir, vamos entender o que é Acessibilidade Digital, por que ela é fundamental para o seu negócio e como é possível tornar o seu site mais acessível.

O que é Acessibilidade Digital?

A Acessibilidade Digital engloba uma série de mecanismos e ferramentas que buscam otimizar um site ou uma plataforma a fim de que ela se torne acessível a pessoas com deficiência. Isso porque, da mesma forma que um cadeirante tem problemas em acessar edifícios que possuem escadas em vez de rampas, pessoas com deficiência auditiva, por exemplo, precisam da Língua de Sinais para compreender certos conteúdos na internet.

Uma em cada quatro pessoas no Brasil possui algum tipo de deficiência. Tornar o seu negócio digital acessível é otimizar a sua plataforma visando se comunicar com todas essas pessoas e passar a sua mensagem a elas, e não só conversar com a maioria da população.

Acessibilidade é lei

A Acessibilidade Digital é importante para atingir todos os públicos, ampliar suas vendas e se diferenciar da concorrência. Além disso, tornar seu site acessível é lei. Segundo a Lei Brasileira de Inclusão (LBI), “é obrigatória a acessibilidade nos sítios da internet mantidos por empresas com sede ou representação comercial no País ou por órgãos de governo, para uso da pessoa com deficiência, garantindo-lhe acesso às informações disponíveis, conforme as melhores práticas e diretrizes de acessibilidade adotadas internacionalmente”.

Promulgada em 2016, a LBI, também conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência, busca incentivar a inclusão de pessoas com deficiência na sociedade e ampliar a penalização para a discriminação e o desrespeito aos direitos dessas.

Como deixar seu site acessível

De modo geral, pessoas com deficiência utilizam ferramentas que possibilitam a Acessibilidade Digital. Entretanto, isso não elimina a necessidade de deixar o seu site inclusivo. Afinal, certas práticas podem impedir a funcionalidade dessas ferramentas e interferir no processo de comunicação. Para que isso não aconteça, separamos algumas dicas que podem auxiliar na transformação do seu negócio, tornando-o cada vez mais inclusivo digitalmente.

Otimize o seu texto para todos

Ao produzir qualquer conteúdo em seu site, o redator utiliza uma ferramenta importantíssima nesse processo: a língua portuguesa. O principal problema por trás disso é que grande parte das pessoas com deficiência auditiva tem dificuldade de falar português. E esse não é só um problema nacional. Cerca de 80% das pessoas com essa deficiência são analfabetas. Dessa forma, grande parte desse público utiliza avatares de Libras – Língua Brasileira de Sinais –, como o Hand Talk, que traduzem os conteúdos para a Língua de Sinais.

Buscando facilitar a interpretação desses softwares, é importante estruturar as frases na forma direta. Evitar figuras de linguagem também é boa prática, que não só contribui para a melhor tradução dos avatares, como evita que autistas fiquem confusos, uma vez que pessoas no espectro possuem dificuldade em compreender esse aspecto da linguagem.

Outro grupo que também enfrenta problemas ao se deparar com artigos textuais são pessoas com dislexia. Formatar os posts do seu site no estilo justificado, por exemplo, cria espaçamentos desnecessários, dificultando a leitura.

Torne seus conteúdos audiovisuais acessíveis

A produção de conteúdos em vídeo também precisa ser elaborada com bastante cuidado. Ao redigir o roteiro, certifique-se de que é possível compreender a mensagem apenas através do áudio. Isso porque existe grande quantidade de vídeos que usam o aporte visual como elemento essencial para a compreensão da mensagem, interferindo na inclusão de pessoas com deficiência visual.

Legendas e transcrições de áudio funcionam para incluir deficientes auditivos, sendo até uma ferramenta essencial para ampliar a Acessibilidade Digital dos seus podcasts. Entretanto, opte por um tradutor de Libras, no caso de vídeos, se for possível. Outro cuidado seria com vinhetas estridentes ou com sons muito altos, o que pode assustar pessoas autistas.

A descrição de imagens, gifs, tabelas e infográficos também é essencial em relação à inclusão digital de deficientes visuais. Nas redes sociais, procure elaborar uma legenda que torne clara a informação apresentada e adicione a tag #ParaCegoVer. Essa atitude reforça a importância do movimento e o posicionamento da sua empresa como marca inclusiva.

Contrate uma consultoria

Para ter certeza de que o seu site realmente é inclusivo, uma dica é contratar uma consultoria especializada no assunto para auxiliar nesse desafio. Existem diversas empresas cujo modelo de negócio é otimizar plataformas digitais para que elas estejam aptas a se comunicarem com todas as pessoas, independentemente de suas limitações.

E lembre-se: Acessibilidade Digital, acima de tudo, é um gesto de empatia. É se colocar no lugar do outro e buscar identificar quais são os obstáculos que existem atualmente em seu site que impedem a compreensão de pessoas com deficiência. Ao fazer isso, você dá o primeiro passo  com o objetivo de tornar o seu negócio inclusivo e preparado para o futuro digital.

E, então, está pronto para aplicar a Acessibilidade Digital ao seu negócio? Confira também soluções inovadoras para aumentar a acessibilidade das cidades e continue a inteirar-se do tema.