Como criar apresentações para seu negócio, com Renato de Paula

Compartilhe este conteúdo:
Você sabia que o modo de apresentar uma ideia é determinante para o sucesso de um projeto? Do mesmo jeito que as imagens são capazes de despertar a curiosidade e gerar conexão com o público, a forma como um conteúdo é apresentado também pode afastar as pessoas e estragar uma mensagem, mesmo que ela seja magnífica.
Tal cenário é o oposto do que se espera de um empreendedor. Para conquistar novos públicos e se manter competitivo no mercado, quem tem um negócio deve saber como comunicar as próprias ideias e transmitir sua mensagem.
É o seu caso, não é mesmo? Por isso, você não pode perder a entrevista deste mês, para a qual convidamos o especialista na criação de apresentações memoráveis para os negócios, Renato de Paula.
Com mais 16 anos de experiência na área de Comunicação Empresarial, ele já atendeu empresas como YouTube, Fiat e Natura, e agora nos mostra na prática dicas e truques para vender uma ideia por meio de imagens.
Pegue o papel e a caneta porque o bate-papo está recheado de informações valiosas!

1. Qual é a importância de uma apresentação impactante para um negócio?

Vamos lá! Costumo dizer que uma apresentação ruim pode derrubar uma excelente ideia, e, por outro lado, uma apresentação “matadora” pode ser capaz de vender uma ideia que talvez nem seja tão diferenciada.
Uma apresentação bem-feita consegue “abrir portas” para que negócios possam prosperar. É um momento único que você tem para olhar diretamente nos olhos do seu público, transmitir sua mensagem, gerar interesse e dar um próximo passo.
Entretanto, se você tem uma apresentação malfeita, que não gera interesse, que não cria conexão e é capaz de encantar o público, pode ter certeza de que as chances de sucesso daquela ideia que pretendia transmitir cairão consideravelmente.
Uma apresentação impactante, por sua vez, deve deixar marcas, lembranças e criar conexão. Para que tudo isso aconteça, é necessário dar mais atenção aos processos de planejamento, roteirização, design e performance da apresentação.
Se apresentar um conteúdo que não seja convincente e encantador, você não terá uma segunda chance. Costumo fazer analogia do processo de criação de uma apresentação com um atirador de elite. Ele se prepara bastante para não errar o tiro e evidentemente acertar o alvo quando for preciso.
Warren Buffett diz que a boa capacidade de comunicar, de saber transmitir suas ideias, aumenta o seu valor em pelo menos 50%. Com isso dá para entendermos a importância de uma boa apresentação para qualquer tipo de negócio.

2. O que é preciso saber ou conhecer para criar uma boa apresentação?

Com o objetivo de criar uma boa apresentação, precisamos seguir algumas etapas antes de abrirmos qualquer software para a criação de slides. Vamos lá:

Diagnóstico

Nesta etapa, temos de responder a algumas perguntas que vão direcionar toda a estrutura verbal e visual da nossa apresentação.
– Por que eu preciso dessa apresentação? Qual o tipo de atitude, sensação, sentimento eu quero que o público tenha? Quero vender uma ideia, um produto ou um serviço? Desejo ganhar uma promoção no trabalho? Enfim, parece óbvio, mas é necessário responder a essas perguntas antes de qualquer outra ação.
Ainda na fase do diagnóstico, é importante fazer um mapeamento completo do público:
– Procure entender a faixa etária, o estilo de vida, a classe social de sua plateia. Isso tudo vai lhe ajudar a ser mais assertivo em sua comunicação.
Busque também informações sobre o tempo disponível para a sua palestra, a quantidade de pessoas, o tamanho e a proporção da tela onde serão projetados seus slides.

Roteiro

Com o diagnóstico em mãos, partimos para a criação do roteiro da nossa apresentação. Esse trabalho é feito no Word. Perceba que até agora não trabalhamos com o PowerPoint.
Toda apresentação impactante, matadora ou memorável tem algo em comum: a conexão com o público. Sabe quando a gente está assistindo a um filme, a uma série, a uma novela, e simplesmente passa a vivenciar a história que está sendo contada? Isso é um tipo de conexão. Começamos a sofrer, a rir e a chorar junto com o protagonista da história, não é mesmo?
É isso o que um bom roteiro tem de buscar: conectar-se com o público. Uma apresentação encantadora deixa marcas. Por sua vez, uma apresentação fora da curva deixa lembranças na mente do público.
Para que esse objetivo seja alcançado, é importante envolver o conteúdo em um formato de história. Nós, seres humanos, gostamos de ouvir histórias e nos recordamos com muita facilidade delas. Vale lembrar que todos nós somos contadores de histórias.
Por trás do conteúdo de sua apresentação, certamente existe um contexto, existem desafios e perrengues que você teve de enfrentar. Leve isso para o seu roteiro. Não se preocupe em mostrar possíveis vulnerabilidades. Mas, cuidado com o egocentrismo. Mostre como você foi capaz de chegar aonde está e como o conteúdo de sua apresentação vai tornar a vida do seu público diferente.

Design dos slides

Agora, sim, podemos ir ao nosso PowerPoint ou a qualquer outro software de criação de slides.
Em primeiro lugar, é fundamental dizer que os slides são ferramentas de suporte visual para a fala do palestrante. Slide não deve servir como apoio de leitura. Se o público demorar mais do que 4 segundos para interpretar as informações de um slide, tenha a certeza de que o seu material está com problemas.
Então, a primeira lição é reduzir ao máximo a quantidade de texto em cada tela. Cada slide deve trazer apenas uma única mensagem principal, que pode ser mostrada de forma simples e direta ao público.
Algumas dicas de design para aplicar imediatamente em suas apresentações:
Paleta de cores: defina uma paleta de cores para os seus slides. Acredito que, se você trabalhar com duas ou até três cores, já dá para fazer ótimas combinações.
Fontes: utilize no máximo 2 estilos de fontes em seus slides. Padronize 100% das telas com as fontes escolhidas. Cuidado para não usar estilos de letras que causem dificuldade na leitura.
Imagens: busque usar imagens com boa qualidade, sem marcas d´água, distorcidas e clichês. O ideal é usar uma imagem por slide. Essa imagem deve ter relação com a mensagem do slide.
Ícones: use e abuse deles. Os ícones têm um tipo de entendimento universal. Em todos os lugares do mundo, eles são utilizados para transmitir mensagens. Tente substituir os “bullet points” por ícones. Não use os ícones de forma aleatória. Cada escolha deve ser bem-feita e ter relação direta com o texto do slide.
Gráficos e tabelas: utilize estes elementos somente se eles agregarem na construção de sua mensagem. Ao empregá-los, procure deixar o layout o mais limpo possível. Elimine linhas de grade, deixe-os sem efeitos 3D, trabalhe com cores e fontes definidas para o seu projeto visual. Sempre destaque os números por meio de fontes maiores e com contrastes marcantes.

Performance

Para ter uma boa performance, não existe outro caminho que não seja treinar. Comece ensaiando o seu conteúdo de texto, antes mesmo da criação dos slides.
Filme-se e assista à sua apresentação. Apresente-se para seus amigos, parentes ou colegas de trabalho. Faça uma videochamada para ensaiar. Enfim, quanto mais você ensaiar, mais segurança terá, menos nervosismo e sintomas de ansiedade vão surgir.

3. Quais são os erros mais comuns que as pessoas cometem ao fazer apresentação para o negócio?

Acredito que os maiores erros estão na estrutura dos roteiros dessas apresentações. Muitos conteúdos seguem a mesma lógica: apresenta-se a Missão, Visão, Valores, organogramas, serviços ou produtos e pronto! O público não quer saber absolutamente nada disso. Ele tem interesse em descobrir como o seu produto ou serviço poderá resolver os problemas dele, ou seja, tornar a vida dele melhor. O que desperta a atenção dele é identificar como vai prosperar apostando no seu negócio.
Tente diluir a Missão, a Visão, os Valores etc., em um contexto, através de uma história. Mostre a razão pela qual seu público pode confiar nas suas promessas e como seu conteúdo será capaz de mudar a realidade dele.
Outro erro comum é o grande volume de informações por slide. Ouvir e ler são atividades muito conflitantes para o nosso cérebro. Quando se tem muito texto no slide, a tendência do público é de fazer a leitura daquelas informações. O problema disso é que, enquanto o público está fazendo a leitura, o que está sendo dito pelo palestrante pode “entrar por um ouvido e sair pelo outro”.
Como disse anteriormente, não devemos começar abrindo o PowerPoint. Uma apresentação nasce no editor de textos.

4. O que NÃO deve conter em uma boa apresentação?

– Discurso sem foco definido e burocrático, sem contexto e sem história.
– Slides que mais se parecem com uma página de e-book de tanto texto que apresentam.
– Imagens com qualidade ruim.
– Falta de harmonia na combinação de cores.
– Estilos de fontes que prejudicam a leitura.
– Apresentador despreparado.

5. Você tem alguma dica ou hack para pequenos e médios empreendedores criarem uma apresentação “matadora”?

Tenho sim. Acredito que seja melhor eu usar algumas imagens para ajudar na compreensão. Vamos fazer um ANTES X DEPOIS?!
ANTES
antes
· Grande quantidade de texto.
· Número excessivo de fotos aleatórias, distorcidas e com qualidade ruim.
· Contraste ruim: texto amarelo sobre o fundo branco.
DEPOIS

depois

 
· Informações sintetizadas: coloquei no slide somente as informações-chave.
· Uso de ícones nos lugares dos bullet points.
· Uso de apenas uma foto, com qualidade impecável.
· Uso de cores harmônicas.
· Design clean e direto.
ANTES

antes

 
· Título com contraste ruim.
· Quantidade excessiva de texto.
· Falta de padrão no uso de fontes.
· Falta de padronização no estilo do design: uso de ilustração + imagem.
· Design carregado, sem destaque para informações importantes
DEPOIS

depois

 
· Uso de uma imagem impactante, que traz um conceito forte, ligado ao tema.
· Destaque para as informações principais.
· Conteúdos sintetizados.
· Uso de ícones.
· Contrastes marcantes.
ANTES

antes

· Título com fonte de difícil leitura.
· Quantidade excessiva de texto.
· Foto clichê, distorcida e com qualidade ruim.
· Falta de contraste no box que apresenta a massa de texto.
· Design amador e nada didático.
DEPOIS

depois

 
· Conversão do slide em formato de infográfico.
· Uso de ícones.
· Destaque para as informações principais.
· Design organizado e mais leve.
 

6. Pode compartilhar com a gente quais ferramentas e recursos você costuma usar ou indicar para criar slides incríveis?

5 EXCELENTES SITES PARA BAIXAR FOTOS GRATUITAS
5 SITES PARA BAIXAR ÍCONES GRATUITOS:
SITES PARA COMBINAR PALETA DE CORES
Está em dúvida em como combinar cores? Vou listar 2 excelentes sites pra você: https://coolors.co/ e https://color.adobe.com/pt/

7. Saber falar em público é um dos pré-requisitos para fazer uma apresentação memorável? Quais dicas você pode dar para quem não tem experiência e quer começar a vender suas ideias?

Uma pesquisa feita no Reino Unido identificou que a maioria das pessoas tem mais medo de falar em público do que da própria morte. Com base nesse resultado, dá para perceber como esse assunto é importante.
Para começar, acredito que a maioria das pessoas não tem medo de falar em público. Elas têm medo de serem julgadas, sentem medo de esquecer o conteúdo, de dar aquele “branco”, entende? Elas têm receio de tropeçar no palco, de gaguejar e fracassar.
Na minha opinião, o remédio para tudo isso chama-se “ensaio”. Todos nós podemos falar bem, com confiança e credibilidade, porém precisamos dominar o conteúdo. Temos de ter toda a história na cabeça, sem precisar nem do apoio de slides.
A preparação para uma palestra deve ser igual a de um ator que se julgue apto a apresentar uma peça. Temos de ensaiar bastante. Como já comentei, uma forma fácil de conseguir mais confiança é se filmar. Apresente-se para a câmera do seu celular. Assista e faça uma análise crítica. Anote os pontos em que você notou possíveis erros. Repita o processo. Apresente-se para amigos através de videochamadas.
Dê uma atenção especial aos vícios de linguagens. Sabe aquelas expressões que usamos diariamente? “éééhhhhh”, “então, então, então”, “né”, “tipo assim”, “ãhhhh”.
Quando aparecem demais em nossa fala, essas palavrinhas prejudicam o resultado da performance.
Como resolver isso? Em muitas situações, tais expressões podem ser substituídas por pausas. Geralmente esses vícios de linguagem surgem quando vamos ligar um raciocínio ao outro. Então, a dica é respirar, dar uma pequena pausa entre um trecho e outro da fala e seguir com o raciocínio.
Outro fator que provoca o excesso dos vícios de linguagem é o próprio nervosismo. Como amenizar esse problema? Ensaie, ensaie e ensaie! Quanto mais você ensaiar, mais confiança vai sentir, vai conseguir conectar um raciocínio ao outro de forma mais natural e fluida.
Atenção também à linguagem corporal. Movimentação de braços, pernas, olhar e gestos fazem parte do jogo. Tente ser o mais natural possível. Se você se mostrar tenso, com gestos duros, a plateia vai perceber, e você passa a perder credibilidade. Para se apresentar de uma forma leve, ensaie! Não existe outro caminho.
Uau! Foram muitas dicas relevantes para elevar o nível da apresentação das suas ideias, não é mesmo? Quer continuar aprendendo formas de impulsionar o seu negócio? Acesse agora mesmo, no nosso blog, um post com o passo a passo para a prospecção de clientes.