Descubra como aplicar a Inteligência Competitiva para que seu negócio prospere

Compartilhe este conteúdo:

A Inteligência Competitiva é um fator-chave das empresas capazes de manter o ritmo de crescimento e as operações lucrativas ao longo dos anos. Ela envolve a possibilidade de levantar informações relevantes para o negócio e estabelecer estratégias que as posicionem à frente de concorrentes.

Uma pesquisa conduzida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) constatou que menos de 40% das empresas fundadas no Brasil sobrevivem por mais de 5 anos.

Por isso, buscar maneiras de manter o crescimento é uma questão primordial para muitos empreendedores.

Uma grande aliada nesse esforço pela sobrevivência das empresas são os sistemas de Inteligência Competitiva, que podem e devem ser aplicados por empresas de diferentes portes e setores. Para saber como isso pode contribuir para o crescimento e a manutenção de uma empresa, confira este post.

O que é Inteligência Competitiva?

É a habilidade de reunir dados e informações e analisá-las com a finalidade de aplicar inovações e obter vantagens competitivas.

Esse tipo de inteligência pode também ser entendida como a aptidão de se manter antenado ao que acontece em um determinado mercado e se antecipar ao futuro. Tem-se como objetivo evitar surpresas e obstáculos, pensar em novas possibilidades tanto para as decisões operacionais quanto para as estratégicas.

Assim, um trabalho de Inteligência Competitiva permite prever situações e promover alterações na rota. Seja nos processos de trabalho, seja na relação com os clientes, seja até mesmo no serviço ou produto.

O objetivo é garantir uma tomada de decisão baseada em dados e consolidar vantagens competitivas.

Durante o processo de coleta de informações, o trabalho normalmente é distribuído em duas grandes frentes – a análise do ambiente interno e a do ambiente externo.

Análise do ambiente interno

Quando se fala em levantar informações, o estudo do ambiente interno às vezes é esquecido. Mas ele é essencial para que a pessoa conheça as forças e as fraquezas do próprio negócio – ou matriz FOFA.

De posse das informações do ambiente interno, pode ser feito um exercício comparativo com a análise do ambiente externo. Assim, é possível entender se o negócio acompanha o desenvolvimento das competências necessárias com o objetivo de se manter à frente da concorrência.

Portanto, é na comparação das análises do cenário interno e externo que será viável concluir se há necessidade de algum ajuste de rota, readequação de processo produtivo ou forma de trabalho e até mesmo de alguma mudança na disponibilização dos recursos financeiros e humanos.

Análise do ambiente externo

A análise do cenário externo, por sua vez, abrange um universo muito mais amplo. Podem-se realizar estudos do macro ambiente – como levantar informações econômico-financeiras, demográficas, sociais, culturais e legais.

Em seguida, o foco deve ser no estudo do setor específico, das principais tendências e na análise de forças e fraquezas da concorrência.

Para a análise da concorrência, são utilizadas principalmente fontes de informações públicas, como estudos que podem ser facilmente acessados graças à quantidade de dados abertos disponíveis na internet.

Uma das formas de fazer pesquisas interessantes sobre tendências de um setor é entender como esse está estruturado em outros países. Procurar, por exemplo, por novidades ou mesmo como o negócio funciona ao redor do mundo – se tem alguma maneira diferente de atendimento ao cliente, alguma comunicação que se destaca ou prestação de serviço extra.

Além disso, é importante entender como é a relação com os atores envolvidos – como outras empresas, concorrentes, fornecedores, organizações e instituições.

Por fim, cabe ressaltar que essa análise de ambiente externo não tem nada a ver com o uso de informações privilegiadas ou com segredos industriais.

A competitividade aqui se traduz em analisar informações relevantes para o seu negócio que também poderiam ser acessadas pelos concorrentes.

Como aplicar a Inteligência Competitiva no meu negócio?

Agora é hora de colocar em prática os conceitos apresentados. Um ponto crucial é agir no momento certo.

Estamos vivendo a era da informação, e as mudanças são muito rápidas. Dessa forma, a vantagem competitiva se consolida quando se é capaz de implementar com celeridade as mudanças necessárias.

Isso pode ser desafiador, pois exige, de um lado, que os resultados dos estudos se transformem rapidamente em ações e, de outro, que eles sejam constantemente atualizados e retroalimentados. Por essa razão, alguns estudos falam em ciclo ou sistema de Inteligência Competitiva.

Para facilitar a execução do sistema, separamos algumas fontes de pesquisa relevantes.

Fontes de dados para a sua análise

Para iniciar a sua pesquisa, liste o nicho, os principais concorrentes, identifique os diferenciais competitivos dos concorrentes e entenda bem quem é o seu cliente.

Em seguida, observe dados como tamanho do mercado em termos de pessoas e poder de compra, se há uma tendência de crescimento ou de mudança no comportamento do consumidor.

Por fim, você deve se debruçar nas informações disponíveis na internet relevantes ao seu contexto.

  • Acesse as informações disponíveis em sites confiáveis da internet e estudos acadêmicos sobre o setor, tendências de mercado e estudos sobre inovação.
  • Confira as fontes internas de informações – converse com os colaboradores se tiver, revise os documentos financeiros e contábeis.
  • Participe de feiras, conferências e eventos presenciais ou online.
  • Explore a sua rede de contatos, conduza conversas informais e mesmo entrevistas com colegas de profissão e com seus fornecedores – pergunte sobre desafios, inovações, o que eles têm estudado, por exemplo.
  • Realize Pesquisas de Satisfação com seus clientes.
  • Busque relatórios públicos – da bolsa de valores, de agências regulatórias, de empresas de consultoria ou mesmo estudos setoriais elaborados por fontes confiáveis publicados recentemente.
  • Acompanhe as mídias e as redes sociais – de empresas do mesmo setor e do nicho. Uma dica é se atentar aos comentários e às dúvidas dos clientes. é importante também diversificar o tipo de mídia, como blogs, sites, vídeos e podcasts.
  • Consulte estudos estatísticos setoriais.

Compile tudo que julgar relevante para o seu negócio. Depois revise sua matriz de forças e fraquezas e estipule ações concretas e possíveis de colocar em prática no curto e médio prazos, isto é, no período de 3 meses a 1 ano.

Tenha como objetivo reforçar seus pontos fortes e transformar as fraquezas em oportunidades. E não se esqueça de deixar programada a revisão do seu sistema.

Por que investir em Inteligência Competitiva?

De posse de todas essas informações, você será capaz de vislumbrar as tendências do mercado e de monitorar as eventuais mudanças no setor, no comportamento do consumidor e em questões estratégicas como os pontos fortes dos seus concorrentes.

Assim, será possível entender as suas fraquezas e se preparar para as movimentações.

Além do mais, as decisões a serem tomadas serão fundamentadas em dados, aumentando o nível de confiança e o grau de assertividade.

Tudo isso visa garantir uma capacidade de adaptação e sobrevivência das empresas aos diversos cenários, crises e imprevistos. Assim, é possível se manter à frente da concorrência e ter uma operação mais saudável e lucrativa.

Pronto, agora você sabe o que precisa para aplicar a Inteligência Competitiva no seu negócio! Gostou das nossas dicas? Então confira nosso post sobre Gestão, que certamente vai ajudar você a colocar tudo isso em prática.