Marketing Humanizado: o que é e como colocar em prática

Compartilhe este conteúdo:

O Marketing Humanizado é uma vertente que defende o aumento da conexão com o consumidor. Em uma era de transformação digital, automatização e atendimentos por meio de robô, tem crescido a necessidade das marcas de demonstrar que se importam de verdade com as dores e os sonhos de seus clientes.

O objetivo é focar um pouco menos nos produtos e mais nas pessoas e no relacionamento. Atualmente, estão sendo propostas mudanças para uma comunicação cada vez mais customizada, desde a atração, a venda e o pós-venda, com o intuito de gerar uma ligação mais profunda.

Para saber como o Marketing Humanizado pode ajudar você a ter melhores resultados, leia este post até o fim!

O que é Marketing Humanizado

Uma estratégia de Marketing Humanizado está focada em criar laços reais com as pessoas. O atendimento humano, em contraposição com uma resposta automática ou de robôs, permite uma compreensão mais contundente da dor do cliente e uma resposta mais assertiva. Isso faz com a pessoa se sinta mais acolhida e escuta para marcar.

Quando a gente está muito focada em números, taxas, contratos, é natural que se perca parte desse olhar mais humano. E é exatamente esta a proposta do Marketing Humanizado: resgatar um relacionamento mais próximo ao cliente.

Não existe uma fórmula mágica ou um conceito fixo de Marketing Humanizado. Na prática, depende muito do tipo de produto e do público-alvo. O segredo é se lembrar que o foco é gerar conexões, fazer com que a pessoa se sinta especial, escutada e lembrada.

Para alguns autores, o Marketing Humanizado é pautado em três pilares: emoção, empatia e ética.

“Emoção”, no sentido de despertar sentimentos; “empatia”, no aspecto de que a marca entende as dores, os medos, as crenças e os sonhos dessa pessoa. Já a “ética” consiste em não fazer promessas vazias ou abusar de algum sentimento (como um medo muito grande) ou trabalhar de forma apelativa.

O Marketing Humanizado normalmente segue uma linha mais suave de comunicação. E o foco é ajudar o seu cliente a resolver um problema, aliviar uma dor e encorajar um sonho, e não descrever simplesmente o produto ou suas características.

Como implementar

O ponto de partida para implementar estratégias de Marketing Humanizado é pensar menos no produto, e mais nos benefícios, nas grandes transformações na vida dos seus clientes. O processo de identificação de personas e de clientes ideias pode ser bastante útil.

De posse da identificação das personas, podem-se seguir alguns passos, como listar os medos, os desejos, os sonhos e as crenças; alguns autores denominam esse processo de “Mapa da Empatia”. Assim, a sua comunicação pode ser pautada nesse mapa.

Separamos quatro dicas que podem facilitar a implementação:

1 – Storytelling

O storytelling parte da exposição de narrativas emocionantes, que se conectam com as pessoas. Podem ser histórias de clientes, dos fundadores das marcas, dos bastidores da empresa, dos colaboradores e, em alguns casos, até mesmo de personagens. É importante se manter fiel à verdade, e não simplesmente inventar mentiras, por motivos éticos e até mesmo para a reputação da marca. Afinal, se alguma inverdade for descoberta, isso pode custar caro.

O ser humano se conecta muito mais com histórias do que com números. A nossa memória é também muito mais ativada quando estamos diante de histórias, considerando que pessoas se conectam com pessoas. Por isso, o storytelling é uma estratégia bastante eficaz.

Naturalmente, todos nós sabemos contar histórias. Mas existem algumas técnicas que podem nos ajudar – como a história de um herói, que vence algum obstáculo depois de situações de relutância.

O importante é encontrar pontos de conexão com o seu cliente. Pense como essa história pode impactar a vida do seu cliente, a solução de algum problema dele ou alguma inspiração.

2 – Redes sociais

O Marketing Humanizado em redes sociais está mais focado em mostrar pessoas, e não a marca. Faça um teste: procure um instagram de uma loja ou marca que apenas coloque as fotos de produtos; agora procure outro que mostre pessoas e produtos. Qual experiência é mais agradável?

Portanto, nas redes sociais é importante contar histórias, mostrar fotos de clientes, dos bastidores, dos proprietários, e não exclusivamente do produto. Foque na solução e na interação, indo além da descrição do produto.

Por outro lado, aproveite para interagir. Faça do ambiente das suas redes sociais um espaço para conversar. Convide pessoas, por meio de CTA (Call to action, ou chamada para ação), a interagir.

O Netflix, por exemplo, é uma marca gigante, mas que tem casos de interação com os seguidores que ficaram famosos. É um exemplo prático de aplicação de estratégias de Marketing Humanizado. Falando sobre marcas brasileiras, o Nubank e a Boticário são exemplos de empresas que têm aplicado o Marketing Humanizado.

3 – Propósitos da marca e inclusão

É cada vez mais frequente que os consumidores se importem mais com os valores das empresas. Questões sociais, ambientais e outras causas podem motivar uma tomada de decisão de marca.

Se alguma dessas causas faz parte do propósito da sua marca, é importante fazer uma comunicação adequada.

Outro ponto muito importante é observar se o seu produto ou processo de atendimento é inclusivo.

4 – Menos automatização e mais personalização

Aqui não precisa ser nada mirabolante. Pequenos gestos podem encantar as pessoas e gerar essa conexão proposta pelo Marketing Humanizado. Como escrever e enviar cartinhas escritas à mão, lembrar a data de aniversário do cliente e enviar cumprimentos, falar sempre o nome do cliente, tentar encaminhar mensagens e e-mails mais customizados.

Para quem lida com o público diretamente e com frequência, uma dica é perguntar sobre a família. O segredo é demonstrar interesse genuíno pelas pessoas, sem forçar situações, sem ser invasivo ou contar mentiras.

Importância do Marketing Humanizado

O consumidor tem ficado cada vez mais exigente; afinal, a concorrência tem aumentado. Por outro lado, há uma parcela de pessoas insatisfeitas com o atendimento muito robotizado, e utilizar estratégias mais humanizadas pode ser um diferencial competitivo.

As ações impessoais podem causar um impacto muito negativo às marcas. Por isso, será cada vez mais importante tratar os clientes como pessoas, e não apenas como números. As pessoas conseguem resolver melhor as experiências negativas dos clientes, evitando detratores e resultados insatisfatórios.

Por outro lado, ao usar estratégias mais humanas, aumentam-se as chances de gerar conexões mais duradouras com as pessoas e de fidelização.

Pronto para implementar ações de Marketing Humanizado? Para ficar por dentro de todas as novidades do mundo do Marketing, fique por dentro do site do Sebrae e acompanhe também a programação do Reload.