Logística

3 Ferramentas de gestão de estoque do seu negócio

estoque

O sucesso de um negócio depende da integração entre as diversas áreas. Não adianta fazer uma campanha bem-sucedida de marketing, gerar demanda, se você não tiver provisão. E, para evitar esses desalinhamentos, trouxemos aqui 3 ferramentas de gestão de estoque.Por que a gestão de estoque é importante? Exatamente porque estoque é dinheiro.O estoque, além de ser parte significativa dos ativos do seu negócio, é o seu potencial de geração de receita. Se faltar produto, você vai perder uma venda. Da mesma forma, o produto parado também representa perdas.A gestão de estoque é direcionada a equilibrar a quantidade de entradas, de compras de matéria-prima ou de produtos, com a de saídas, ou vendas ao seu cliente. E ser eficiente nessa equação contribui para o aumento da margem de lucro.A boa notícia é que a gestão de estoques pode ser mais simples do que parece. Para ajudar você, elaboramos esta lista.

Boas práticas em gestão de estoque

Antes de se falar em ferramentas de gestão de estoque, vale a pena implementar algumas práticas:

1- Realize regularmente um inventário

O inventário é um registro completo de todas as mercadorias que estão no seu estoque, isto é,   ele assinala características, categorias e quantidades. Se existirem itens similares, vale a pena registrá-los de forma separada.A sugestão é criar uma planilha customizada.Se você ainda não adota nenhuma boa prática de gestão, este deve ser o seu primeiro passo.Caso você já use tal prática, estipule um calendário e registre as datas de cada inventário. Por exemplo, todo dia 25 você fará um inventário.

2 - Registre todas as entradas e todas as saídas

Anote todas as mercadorias que você adquire. O lema da boa organização de estoque é: “Se não registrou, a mercadoria não é sua”.

3 - Entenda o giro do estoque

Com base nos inventários e nos registros de entrada e saída, você conseguirá entender o giro de mercadorias.O giro é uma quantidade de ciclos que você precisa para zerar o seu estoque. É um cálculo fictício, dado que, na maior parte das vezes, você fará reposições.Vamos exemplificar:Estoque médio: 40 unidadesVendas totais: 320 unidades ao anoCálculo: 320/40 = 8 giros ao anoÉ um indicador da circulação de mercadorias. Ele deve ser calculado de forma isolada para cada item.Se o número de giros for baixo, significa que a sua mercadoria está ficando parada – ou você fez um estoque alto, ou as suas vendas foram abaixo da sua expectativa. Se o número for muito alto, talvez você possa comprar lotes um pouco maiores, conseguindo melhores condições de negociação e aumento de margem.

4 - Otimize os itens do seu estoque

Valendo-se das ferramentas que vamos explicar a seguir, será possível implementar práticas para otimizar o seu estoque. Isto é, ter maior equilíbrio entre as entradas e as saídas.

5 - Use sistemas

Vale a pena investir em sistemas. Hoje, existem opções em conta, que atendem a empresários de todos os portes.Com um suporte de um sistema, é mais fácil aplicar todas essas boas práticas. Além disso, será possível ter mais tempo para se dedicar a outras áreas do negócio – como vendas, marketing e fidelização de clientes.Aqui você encontra alguns parceiros que podem atender às especificidades do seu negócio.Com o uso de sistemas, será possível aplicar as ferramentas, que, aliás, estão no próximo tópico.

Ferramentas para gestão de estoque

1 - Curva ABC

A curva ABC se pauta no Princípio de Pareto, que diz que 20% das causas equivalem a 80% das consequências. Podemos aplicá-la em diversos contextos, por exemplo, em vendas: 20% das vendas equivalem a 80% da minha receita.Esse método permite ordenar as informações conforme o grau de importância para cada organização. E, por isso, é uma aliada na tomada de decisão eficiente.A curva ABC de estoques deve refletir a curva ABC de vendas, isto é, eu devo estocar as mercadorias que mais vendem.Esta é a curva ABC:

  • Grupo A: 20% dos itens que representam 80% da receita são mais lucrativos
  • Grupo B: 30% dos itens que representam 15% da receita
  • Grupo C: 50% dos itens que representam 5% da receita

Um controle eficiente de estoque permite alinhar as entradas e as saídas.Se os produtos do grupo A estão em falta, a empresa está perdendo dinheiro – isso pelo fato de  estar deixando de vender.Por outra via, se produtos do grupo C estão com o estoque elevado, a empresa também está perdendo dinheiro, porque há uma alocação de capital em um produto que não reflete em volumes de vendas.Produtos do grupo B e C podem ser impulsionados em promoções, como é o caso da Black Friday. No caso do grupo C, os descontos podem ser mais agressivos para limpar o estoque e gerar caixa. Já em relação ao grupo B, eles têm um potencial de atrair novos clientes.Com a curva ABC, é possível priorizar as ações, baseando-se nas prioridades das empresas.

2 - Dropshipping

Em uma tradução livre, significa “sem se preocupar com o envio”. Essa é uma técnica que elimina o estoque.Ela pode ser utilizada para parte da sua operação. Não necessariamente você precisa aplicar o dropshipping em todos os seus produtos.Na prática, você deixa a logística e o estoque nas mãos de um terceiro. Quando o seu cliente fizer uma compra, será enviado um pedido diretamente ao seu fornecedor, que enviará a mercadoria diretamente ao seu cliente em nome da sua loja.É como se você eliminasse uma etapa de logística e o estoque. É uma espécie de remessa direta.

3 - PEPS - Primeiro que Entra, Primeiro que Sai

É um método de gestão de estoque em que os itens a serem vendidos serão os que foram comprados primeiro. E o preço de venda desses itens, também será calculado a partir dessa compra inicial.Para ilustrar:

  • Dia 10 - entrada de 12 blusas, com custo unitário de R$ 20,00
  • Dia 11 - saída de 10 blusas
  • Dia 13 - entrada de 12 blusas, com custo unitário de R$ 25,00

No dia 14, segundo esse método, se você receber pedidos, você deve vender as 2 blusas que foram compradas no dia 10, calculando o preço de venda a partir do custo de R$ 20,00.Isso garante que os produtos mais antigos sejam vendidos primeiro, estimulando o giro do estoque e a limpeza do seu estoque.Se o seu setor envolve itens perecíveis, como o caso de alimentos, essa análise ganha ainda mais relevância e evita perdas.Além disso, se você estiver trocando de fornecedor ou optando por um modelo que seja similar, vale a pena investir no PEPS.Agora, mesmo você conhecendo algumas boas práticas e ferramentas de gestão de estoque, trouxemos 4 dicas extras:Nunca dependa de um único fornecedor; sempre tenha fornecedores diversos cadastrados, seja de matérias-primas, seja de produto acabado, seja de embalagens.Fique atento às tendências de mercado que são fugazes. Isto é, que têm picos de vendas, mas depois somem do mercado. Estocar esses itens pode prejudicar o seu fluxo de caixa.Valorize a sazonalidade de datas comerciais –  e se programe com antecedência para conseguir atender às demandas da Black Friday e do Natal, por exemplo.Por fim, conheça o SEBRAE Connect e a ferramenta Sensio ERP, que garante automatização de tarefas da rotina da empresa, mais eficiência no processo de compras e planejamento da produção e experiências mais personalizadas para seus clientes.