Greentech: o que é e porque você deveria ficar de olho

Compartilhe este conteúdo:
Mais do que uma simples mudança de hábitos pessoais, a crise climática exige transformação na lógica de produção mundial. Grande parte dos consumidores já espera que as corporações não destruam o meio ambiente, e 90% das pessoas atribuem às empresas a responsabilidade de construir um futuro mais sustentável, aponta pesquisa da Salesforce. Nesse cenário, as empresas Greentech ganham destaque.
Esses são negócios que visam oferecer soluções verdes, a fim de criar um futuro melhor para todos e que respeitem a vida e o planeta. Ficou interessado em saber mais? Neste artigo, explicamos o que é uma Greentech e por que você deveria ficar de olho nesse modelo de negócio.

O que significa Greentech?

 

 

Greentechs são empresas de iniciativa verde que utilizam soluções tecnológicas não só para reduzir o impacto ambiental negativo das suas operações, como também para criar produtos e serviços que ajudem a preservar o planeta.
Esse modelo de negócio surgiu a partir da necessidade de mudanças na lógica de produção e consumo do século XXI, pautada pela responsabilidade em todo o ciclo: do uso de recursos naturais até o descarte de excedentes na natureza.

Greentech: áreas de atuação

 

Chegamos ao limite de uma convivência sustentável entre pessoas, marcas e meio ambiente. A conta da crise climática está chegando em diversos pontos. São mudanças abruptas de temperatura em todo o globo, degelo das calotas polares, aumento do nível do mar, extinção de espécies, desastres ambientais, etc.
Diante do caos anunciado, as Greentechs despontam como uma solução de alto impacto para barrar os efeitos de uma lógica de produção insustentável.
Geralmente, o modelo de negócio surge em formato de startups ou em ambientes empresariais que propiciam a inovação. No entanto, não se restringe a esses locais. Conheça algumas soluções possíveis:

Reciclagem

O correto descarte do lixo nas empresas e nos lares é uma das pautas que exigem atenção para a preservação do meio ambiente. Antenadas à necessidade, Greentechs oferecem soluções de incentivo à gestão responsável de resíduos, como é o exemplo da Gaia Greentech. A marca recebe o lixo eletrônico, encaminhando-o ao reúso ou à reciclagem. Dessa maneira, a Greentech possibilita a pessoas físicas e jurídicas o devido descarte e, em alguns casos, até a compensação pela produção de resíduos por meio de logística reversa e da contribuição em projetos de inclusão social.

Design de produto

Empresas que desenvolvem produtos focados em sustentabilidade também são Greentechs. Há marcas de produção de matérias-primas, como tecidos sustentáveis e insumos naturais para cosméticos, como é o caso da Luna Greentech.
A prática cuida não só do aspecto funcional do item, mas se preocupa também com toda a cadeia de produção: desde uma relação justa com fornecedores até a extração responsável de recursos naturais e o cuidado no descarte dos resíduos gerados no processo.

Apps de economia compartilhada

A necessidade por soluções que diminuam ou otimizem os índices de consumo fez com que empresas de economia compartilhada aparecessem no mercado. Greentechs da área encorajam a utilização de um mesmo produto por diferentes pessoas, como é o exemplo da Uber. Ao promover o serviço de caronas compartilhadas, a marca acaba contribuindo para a redução do uso de combustíveis fósseis, grandes responsáveis pela emissão de gás carbônico na Terra.
Nessa área, as empresas incentivam o uso inteligente de recursos ao promover o compartilhamento, e não a posse de itens. Outro exemplo de sucesso é o marketplace Enjoei, isto é, espaço virtual de compra e venda de peças usadas, que possibilita a continuidade do ciclo de vida dos produtos.

Setor automobilístico

Os veículos são responsáveis por grande parte da emissão de gases do efeito estufa. Para conter o impacto negativo causado pelo uso de carros, Greentechs apostam em tecnologia, com o intuito de criar soluções mais sustentáveis ao setor.
Marcas como Toyota e Ford já utilizam práticas sustentáveis na produção de alguns modelos. No Brasil, por exemplo, as empresas comercializam modelos híbridos, que mesclam o consumo de combustíveis fósseis e energia elétrica.
Como o consumidor está mais consciente em relação à necessidade de mudança nos seus hábitos, nos próximos anos, a demanda por carros mais sustentáveis ainda deve crescer.

Datacenters com eficiência energética

Soluções de tecnologia despontam a todo momento no mercado. A era atual é a da velocidade e da instantaneidade. Diante desse cenário, há uma necessidade crescente de espaço frios para abrigar os servidores de informações virtuais, os datacenters.
A novidade é que Greentechs dão um destino inteligente à parte do calor produzido pelos equipamentos. Reutilizam a energia para climatizar cômodos próximos ao local, aumentando a eficiência energética dos datacenters.
As empresas Greentech são parte de uma resposta inovadora para os problemas que a humanidade criou e, por essa razão, precisa resolver. Ao possibilitar soluções de otimização de recursos, economia compartilhada e eficiência energética, o modelo de negócio estabelece uma convivência um pouco mais harmônica entre as pessoas, as marcas e o meio ambiente, e isso é apenas a semente de uma transformação necessária.
Fique atento: a busca por serviços e produtos que atendam à demanda de sustentabilidade também cresceu e será tendência para os próximos anos. O comportamento do consumidor mudou, e quem deseja se manter competitivo no mercado precisa se adaptar e inovar.
Agora, queremos saber: como sua empresa se posiciona em relação ao assunto? Quais práticas sustentáveis você adota na operação do seu negócio? Lembre-se de que ser sustentável vai muito além do cuidado com o meio ambiente. Quer saber mais desse assunto e entender, de uma vez por todas, o que é sustentabilidade? Então, leia agora mesmo este post no nosso blog!