Negócios

Quick Commerce: como aproveitar essa tendência

Quick Commerce

Quick Commerce ou Q-commerce é uma modalidade de compras online com entrega em poucas horas ou até mesmo em minutos. Para alguns autores, a modalidade de Quick Commerce é a entrega de bens consumíveis em 45 minutos, com taxas  nominais. E uma das formas de possibilitar esse modelo é por meio da entrega local pelas lojas de pequeno ou médio porte da região ou mediante a instalação de centrais de armazenamento, pelas maiores.O foco é atender demandas urgentes e satisfazer o consumidor. Seja por necessidade real, como é o caso de medicamentos, seja mesmo pelo desejo do consumidor de receber de forma rápida a entrega, sem, no entanto, cobrar um frete mais caro pelo serviço.Isso é um reflexo da mudança de comportamento do consumidor, movido cada vez mais pelo senso de urgência. É uma grande oportunidade para fortalecer o comércio local. Usar esse modelo pode contribuir para atrair potenciais clientes da redondeza que ainda não conhecem o seu negócio.Independentemente do seu setor, vale a pena se atentar a essa tendência e entender que você poderia implementá-la desde hoje a fim de impulsionar as suas vendas.Leia até o final para saber mais.

Características do Quick Commerce

Agora que você sabe o que é Quick Commerce ou Q-commerce, veja algumas características:

  • Entrega em menos de 24 horas.
  • Foco na experiência do cliente.
  • Funciona normalmente em uma escala local.
  • Exige uma estrutura de logística rápida.
  • Exige que o sistema de recebimento de pedidos e de confirmação de pagamentos seja ágil.
  • Envolve geralmente itens de primeira necessidade, emergentes ou de consumo rápido, como alimentos, bebidas e medicamentos.Trata-se, porém, de uma tendência que tem afetado outros setores.
  • Pode ser utilizado por empresas de pequeno porte.

Pode-se dizer que estamos diante de uma terceira geração de modelos de compra.Todos esses modelos coexistem, de forma complementar. Portanto, mesmo com o advento dessa terceira geração, a primeira e a segunda continuam existindo e é fundamental se ater a uma presença em todas elas.

Primeira geração:

O consumidor precisa ir até a loja física. Neste caso, o consumidor absorve parte da logística, as lojas ocupam espaços físicos maiores, e todos os produtos estão à disposição. O preço, o atendimento e a experiência podem pesar mais na decisão de compra.

Segunda geração:

Deliveries e comércio eletrônico. No Brasil, é comum praticarmos fretes com prazo de entrega de 2 até 15 dias, com faixas diferentes de preço – quanto mais rápido, mais caro o frete.Diferentemente do primeiro modelo, nem sempre todos os produtos estão disponíveis, porém a grande maioria. As lojas não precisam ocupar tanto espaço, mas há grandes centros de distribuição. A maior parte da logística é feita por caminhões, sendo absorvida pela marca ou terceirizadas. Neste modelo, o preço é um dos principais critérios; afinal, o consumidor consegue realizar mais comparações do que em lojas físicas.

Terceira geração:

Rapidez da entrega é um diferencial. Normalmente, abrange itens de menor volume e de necessidade urgente. Para que a entrega seja de fato ágil, há necessidade de hubs ou pequenos centros de distribuição espalhados pelas cidades. O atendimento é local, muitas vezes dentro do próprio bairro. A cadeia logística muitas vezes envolve veículos de duas rodas, como bicicletas e motos. O mais importante aqui é a agilidade do serviço, mas isso não significa que a qualidade do produto pode deixar a desejar.

Por que eu devo prestar atenção ao Quick Commerce?

Independentemente do seu nicho, esse sistema de entregas ultrarrápidas e com os mesmo valores de fretes podem acabar acostumando os consumidores. Isso cria uma expectativa para que os fretes regulares tenham também uma redução de tempo de entrega e de valores.Portanto, mesmo que o atendimento Quick Commerce esteja fora da sua realidade, comece a se estruturar para melhorar a sua logística. Faça uma análise sobre o que você pode otimizar em relação a tal processo.Como me preparar para o modelo de Quick Commerce?É necessário adaptar a sua estrutura interna para receber esse modelo. Adequar sua estrutura interna para receber pedidos, confirmar pagamento, separar e enviar os pedidos, o que envolve algumas providências. Sugerimos aqui alguns passos:

1 - Presença no digital

Normalmente, o canal de entrada de um potencial cliente desse modelo ocorre de forma online. Por isso, vale a pena estudar a presença da sua marca online.Seja em redes sociais, seja no e-commerce, seja no marketplace.O ideal, dentro da sua capacidade de manter a qualidade e a agilidade dos atendimentos é explorar todas essas possibilidades.

2 - Controle de estoque

Se a agilidade passa a ser o foco, é imprescindível que o seu estoque esteja bem organizado e que você saiba exatamente a quantidade de cada item que você tem disponível.Antes, portanto, de buscar sistemas de automação ou de ganhar escala, é necessário cuidar do seu estoque.Comece fazendo um inventário completo.Em seguida, analise a disposição dos itens – repense se existe algum padrão melhor de organização.Por fim, confira se o padrão encontrado é o mais adequado para situações de loja cheia, muitos atendimentos e necessidade de atender pedidos urgentes.

3 - Faça um levantamento de processos

Entenda como vai funcionar os processos de pedidos. Desde a chegada do pedido, a confirmação de recebimento do pagamento, a separação, a embalagem e a entrega para o responsável pelo pedido.Antes mesmo de comprar softwares ou de automatizar seus processos, faça um desenho. Aproveite para entender se existe algum ponto que já pode ser aprimorado hoje.Pode ser uma boa ideia contar com a ajuda de consultores especialistas nessa etapa.

4 - Defina como será o método de entrega

Como vimos, o ponto central no modelo do Quick Commerce é a entrega muito rápida. Existem alguns modelos que você pode utilizar. Veja:1 - Assumir a entrega: você mesmo ou trabalhadores autônomos farão a entrega.2 - Contratar empresas de logística ou transportadoras: é possível terceirizar a entrega.3 - Utilizar aplicativos de entrega.4 - Usar toda a estrutura de Quick Commerce dos marketplaces que você está.

Quais são as vantagens desse modelo?

Além de trazer uma grande inovação e acompanhar essa mais nova tendência, ao apostar nesse modelo, é possível:

  • Reduzir o tempo de estoque e o aumento da rotatividade.
  • Aumentar a taxa de conversão.
  • Implementar um novo canal de vendas, que pode acabar atraindo novos clientes.
  • Fidelizar clientes que ficarem satisfeitos com a rapidez da entrega.

Exemplos de Quick Commerce:

Para ilustrar esse modelo, separamos aqui 4 exemplos:

  • Delivery Hero: foi um dos primeiros serviços no mundo de entrega rápida. É um aplicativo europeu que não está no mercado brasileiro
  • Rappi: tem uma modalidade de entrega em até 45 minutos, em parceria com alguns supermercados.
  • iFood: em algumas cidades e para alguns produtos, o iFood também já consegue atender na modalidade q-commerce. Para isso, existem alguns centros de distribuição em diferentes endereços.
  • Daki: é uma startup de entregas super-rápidas, com o slogan de entregas das compras de supermercado em até 15 minutos

Portanto, o Quick Commerce já chegou ao Brasil. É ainda um mercado incipiente, mas cheio de oportunidades, inclusive para empresas de micro, pequeno e médio portes, que explorarem a compra local e a entrega rápida para os bairros que se localizam na redondeza.É importante ter em mente que os consumidores tendem a ficar cada vez mais exigentes no que diz respeito à presteza. Por isso, vale a pena se preparar para uma estrutura cada vez mais ágil e eficiente.E, se você deseja aumentar as suas vendas por meio de e-commerce, separamos estas dicas pra você.